Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.575,47
    +348,47 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.674,30
    -738,20 (-1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,52
    -0,19 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.783,10
    -22,40 (-1,24%)
     
  • BTC-USD

    18.069,04
    +300,98 (+1,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    333,27
    -4,23 (-1,25%)
     
  • S&P500

    3.638,35
    +8,70 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    29.910,37
    +37,87 (+0,13%)
     
  • FTSE

    6.367,58
    +4,65 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.894,68
    +75,28 (+0,28%)
     
  • NIKKEI

    26.644,71
    +107,41 (+0,40%)
     
  • NASDAQ

    12.273,25
    +121,00 (+1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3922
    +0,0523 (+0,82%)
     

Austrália anuncia plano bilionário para o mercado de trabalho

·1 minuto de leitura
Fila em Melbourne para o pagamento do seguro-desemprego
Fila em Melbourne para o pagamento do seguro-desemprego

A Austrália anunciou nesta quinta-feira um plano de ajuda para o mercado de trabalho 1,4 bilhão de dólares, no momento em que o desemprego registra o maior nível em 20 anos devido à pandemia do novo coronavírus.

O primeiro-ministro Scott Morrison explicou que o investimento permitirá criar mais de 300.000 postos de formação, para que os desempregados e as pessoas que entram no mercado de trabalho consigam uma nova orientação para setores considerados promissores.

"Para muitos australianos é uma preocupação observar que terão problemas para encontrar um trabalho na indústria ou nos locais em que trabalharam até agora", disse.

"Queremos dar a possibilidade de que encontrem trabalho em outros setores", completou.

O Escritório Australiano de Estatísticas anunciou que em junho o desemprego alcançou 7,4% da população ativa.

O país de 25 milhões de habitantes, que pode entrar em recessão pela primeira vez em quase 30 anos, tem atualmente um milhão de pessoas sem trabalho, o que não era registrado desde 1998.

O governo conservador destinou bilhões de dólares para apoiar a economia desde o início das medidas de confinamento em março.

O país retorna aos poucos à normalidade, mas a segunda maior cidade da Austrália, Melbourne, registrou um aumento de casos de COVID-19 e teve que retornar ao confinamento na semana passada, o que tem importantes consequências econômicas.

Nas últimas 24 horas, o estado de Victoria, onde fica Melbourne, registrou 317 novos casos do novo coronavírus, um recorde. A região está isolada do resto do país há uma semana.

A Austrália registra até o momento 11.000 contágios e 113 mortes provocadas pela COVID-19.