Austeridade imposta à Grécia pode dar certo, diz premiê

O programa de austeridade imposto à Grécia pelos credores internacionais tem potencial para atingir seus objetivos desta vez, disse o primeiro-ministro da Grécia, Antonis Samaras, em entrevista publicada hoje no jornal Real News.

"Apesar do que muitos dizem, este programa pode (ser bem-sucedido)", disse Samaras, que está à frente de uma coalizão de três partidos governando o país. "É claro que nossa sociedade chegou ao limite", acrescentou o líder conservador. "A questão é não impor mais sacrifícios, o ponto é fazer o que for necessário para se ter a certeza de que tais sacrifícios tenham valido a pena", acrescentou.

O país continua em uma severa recessão econômica, com perspectiva de contração de mais de 4% do PIB este ano, a qual seria a sexta consecutiva. O desemprego, por sua vez, é o mais alto na zona do euro.

Recentemente, o país recebeu a aprovação para uma ajuda de 52,5 bilhões de euros de seus credores europeus e internacionais. Os recursos serão liberados mediante o compromisso assumido no ano passado por Atenas de cortes de gastos e aumento de impostos equivalentes a 13 bilhões de euros, para estreitar o déficit orçamentário grego nos próximos dois anos.

Samaras disse que o objetivo imediato do país é atingir um superávit primário para evitar que tenha de recorrer a mais ajuda financeira internacional. As informações são da Dow Jones.

Carregando...