Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,63 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,59 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,48
    -0,49 (-0,68%)
     
  • OURO

    1.751,90
    +0,50 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    47.153,23
    -715,13 (-1,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.179,17
    -46,36 (-3,78%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,42 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.371,29
    -549,47 (-2,20%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.296,00
    -30,00 (-0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1967
    -0,0027 (-0,04%)
     

Aumento na conta de luz não resolve e bandeiras devem enfrentar déficit de R$ 5 bi

·2 minuto de leitura
 Poste elétrico com fios de alta potência e dinheiro ao fundo
Déficit deve ser levado em conta nos reajustes anuais das distribuidoras de energia em 2022
(Getty Creative)
  • Bandeiras tarifárias devem encarar déficit de R$ 5 bilhões neste ano

  • Isso quer dizer que, mesmo com aumento na conta de luz, o valor arrecadado não será suficiente para cobrir gastos

  • Para evitar situação, estima-se que o valor da bandeira de Escassez Hídrica teria que ser de R$ 18,00

Mesmo com o aumento das taxas na conta de luz, as bandeiras tarifárias acumularão um déficit de pelo menos R$ 5 bilhões neste ano. As previsões são da MegaWhat, consultoria e plataforma de informações para o setor elétrico.

Isso quer dizer, na prática, que ainda que os brasileiros estejam pagando um valor mais alto para gerar energia elétrica, não será suficiente para cobrir todos os gastos que as usinas térmicas estão tendo para operar na intensidade atual. Esse déficit deve ser levado em conta nos reajustes anuais das distribuidoras de energia em 2022.

Leia também: 

Em entrevista para o Valor Econômico, a presidente da consultoria, Ana Carla Petti, disse que, para evitar o saldo negativo, o valor da bandeira de Escassez Hídrica teria que ser de R$ 18 por cada 100 kilowatts-hora. Em agosto, o governo anunciou que elevaria o valor de R$ 9,49 para R$ 14,20.

O que são as bandeiras tarifárias?

Mês a mês, as bandeiras indicam o custo da geração de energia elétrica que será cobrado dos consumidores. De acordo com o site do Ministério de Minas e Energia, as tarifas levam em conta todos os custos envolvidos na geração, transmissão e distribuição de energia, além dos encargos setoriais.

“A cada reajuste tarifário das distribuidoras, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) faz uma previsão do quanto vai ser gasto para gerar a energia. Quando as chuvas são escassas [...], as termelétricas são usadas para gerar mais energia, com valor mais elevado, fazendo com que os valores arrecadados sejam insuficientes para cobrir os custos”, pontua.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos