Mercado fechará em 4 h 3 min
  • BOVESPA

    113.301,47
    +18,80 (+0,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.477,77
    +372,06 (+0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    75,34
    +1,36 (+1,84%)
     
  • OURO

    1.752,50
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    43.254,48
    -173,88 (-0,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.075,92
    -25,60 (-2,32%)
     
  • S&P500

    4.442,28
    -13,20 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    34.912,98
    +114,98 (+0,33%)
     
  • FTSE

    7.063,40
    +11,92 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    24.208,78
    +16,62 (+0,07%)
     
  • NIKKEI

    30.240,06
    -8,75 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    15.132,75
    -186,00 (-1,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2662
    +0,0106 (+0,17%)
     

Aumentam os casos de punições por infração em crédito consignado

·1 minuto de leitura
Studio shot of a credit card and lock against a brown background
Studio shot of a credit card and lock against a brown background
  • Foram aplicadas 66 sanções, contra 48 um mês antes;

  • Houve também aumento das sanções administrativas aplicadas às empresas: 31 contra 20;

  • Até o momento, 550 empresas que prestam serviços de correspondente receberam sanções.

De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN), o setor bancário bateu, em junho, o recorde de punições a correspondentes que desrespeitaram regras de concessão de crédito consignado: foram aplicadas 66 sanções contra 48 no mês anterior. 

Até o momento, 550 empresas que prestam serviços de correspondente receberam sanções, 270 correspondentes bancários foram advertidos e 114 tiveram suas atividades suspensas temporariamente. Nos casos em que houve reincidência, os agentes tiveram suas atividades suspensas por prazos que variam entre 5 e 30 dias.

Leia também:

O período também marca o aumento das sanções administrativas aplicadas às empresas: 31 contra 20 em maio. No mês, mais duas empresas tiveram suas atividades suspensas em definitivo. 

A Autorregulação do Consignado visa dar transparência, combater o assédio comercial e qualificar os correspondentes, além de tratar de maneira especial a questão da proteção dos dados dos consumidores.

Pelas regras assumidas pelos bancos, é considerada falta grave qualquer forma de captação ou tratamento inadequado ou ilícito dos dados pessoais dos consumidores, sem sua autorização e todos os bancos que participam da autorregulação assumem o compromisso de adotar as melhores práticas relativas à proteção e ao tratamento de dados pessoais dos clientes.

Com informações do Jornal O Dia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos