Aumenta superávit nas finanças públicas do Reino Unido

O governo do Reino Unido teve em janeiro o maior superávit nas finanças públicas dos últimos cinco anos, de acordo com dados do Escritório para Estatísticas Nacionais (ONS, na sigla em inglês). O setor público britânico fez um pagamento líquido de dívida - o que significa superávit - de 11,4 bilhões de libras (US$ 17,5 bilhões) em janeiro, o maior pagamento desde janeiro de 2008.

Em comparação, em janeiro do ano passado foi feito um pagamento líquido de 6,4 bilhões de libras. Os dados excluem intervenções feitas no setor financeiro durante a crise e também excluem a transferência extraordinária de 28 bilhões de libras do fundo de pensão Royal Mail para o governo, em abril de 2012. A previsão dos economistas consultados pela Dow Jones era de que o governo pagaria 6,0 bilhões de libras em janeiro.

Apesar do bom resultado, a esperança do ministro de Finanças britânico, George Osborne, de cumprir suas metas de empréstimos foi prejudicada por uma regra que determina que nem todos os lucros gerados pelo programa de compra de bônus do Banco da Inglaterra (BoE) podem ser transferidos para os cofres do governo. O ONS publicou hoje a regra sobre como classificar a transferência de cerca de 35 bilhões de libras em lucros do programa.

O Escritório para Responsabilidade Orçamentária (OBR, em inglês) calculou em dezembro que a transferência - que será dividida em alguns anos - levaria a uma redução de 11,3 bilhões de libras nos empréstimos tomados pelo governo no atual ano financeiro. O ONS afirmou que uma parte das transferências será registrada como dividendos da renda empresarial do BOE, o que significa que elas reduzirão o déficit orçamentário.

No entanto, sob as atuais regras da agência de estatísticas da União Europeia, a Eurostat, existe um limite para o montante de renda empresarial que o BoE pode registrar em cada ano. Para o atual ano fiscal, o limite é de 9,1 bilhões de libras. O ONS disse que um valor de 2,7 bilhões de libras dessa renda foi usado em abril pela transferência de 2,3 bilhões de libras do fundo de liquidez especial do BOE e de outros pagamentos de departamentos.

Isso significa que apenas 6,4 bilhões de libras das esperadas transferências do BOE podem ser usados para reduzir o déficit. As informações são da Dow Jones.

Carregando...