Mercado fechado

Aumenta busca por cartão de crédito para negativados

As buscas por cartão de crédito para negativados estão relacionadas a um imediatismo de liberação do crédito
As buscas por cartão de crédito para negativados estão relacionadas a um imediatismo de liberação do crédito (Getty Image)
  • Pessoas buscam por “cartão de crédito para negativado aprovado na hora” na internet

  • Consumidores também procuram por informações sobre o uso desse recurso

  • Cartões pré-pagos e consignados são os mais comuns para esse público

Os índices de endividamento no Brasil segue em níveis altos há meses. E, para continuarem economicamente ativas, pessoas inadimplentes buscam por opções de crédito viável para quem está com o nome sujo.

De acordo com o estudo “Tendências de busca para Cartão de Crédito”, feito pela plataforma Melhor Câmbio em parceria com a Agência Conversion, o termo “cartão de crédito para negativado aprovado na hora” apresentou um crescimento de 1.300% nas buscas de internet ao longo do último ano.

A pesquisa ainda mostra que os consumidores também procuram por informações para tirar dúvidas sobre o uso desse recurso. Além de “qual cartão de crédito que não consulta SPC ou Serasa” (com crescimento de 1.350%), os termos mais buscados foram: “fazer Pix com cartão de crédito” (550%), “cartão de crédito com limite na hora” (550%) e “como ganhar milhas com cartão de crédito” (450%).

Nesse quesito, os pesquisadores notaram que boa parte das buscas por cartão para negativados estão relacionadas a um imediatismo de liberação do crédito, o que pode acontecer em emergências e momentos de necessidade.

Nesse campo, os bancos tradicionais já concentram 54,7% das buscas sobre cartão, enquanto os digitais somam 27,7% de participação. Para os consumidores procuram um cartão de crédito porque está com o nome sujo, há duas opções mais viáveis: o crédito consignado e o cartão pré-pago.

"Ainda que as famílias estejam endividadas, o acesso ao crédito tem sido muito necessário para recuperar o poder aquisitivo, em especial no momento de alta inflação. Daí o crescente interesse nas opções de cartão que não consultam órgãos como o SPC e a Serasa, e que também não fazem exigência de renda mínima", explicou Alexandre Monteiro, diretor do Melhor Câmbio, ao jornal Extra.