Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    60.802,93
    -1.414,61 (-2,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Audi A4 deve ser o último carro da alemã com motor a combustão

·2 minuto de leitura

Considerado um dos carros mais clássicos da Audi, o sedã A4 ganhará uma nova versão em 2023, mas a motorização ainda não será elétrica, como já foi especulado. Oliver Hoffman, chefe de desenvolvimento técnico da marca, revelou em entrevista à revista Auto Express qual o plano para o modelo.

“O desenvolvimento da próxima geração do A4 está em andamento. Vamos oferecer esse carro e o A6 por muitos anos. A produção do último novo modelo com motor de combustão começará em 2025 e terminará com um ciclo de vida normal em 2033. Mas vamos lançar alguns modelos muito antes”.

De acordo com Hoffman, o modelo que chegará ao mercado em 2023 utilizará a mesma plataforma MLB da geração atual. Embora contenha uma eletrificação maior, incluindo híbridos e plug-in, ele terá sob o capô o novo motor a combustão — gasolina e a diesel. Este, segundo o executivo, será “o melhor que a Audi já lançou” e marcará a despedida rumo aos elétricos.

E o elétrico?

O planejamento da Audi de eletrificar toda a frota a partir de 2026 pode ou não incluir o sedã A4. Se isso ocorrer, no entanto, ele não utilizará mais a plataforma MLB, já que, para isso, precisaria abrir mão de muito espaço para acomodar as baterias. A ideia, talvez, seja adotar algo que já existe dentro das marcas parceiras do grupo.

“Estamos muito felizes por ter uma parceria forte dentro do grupo, como a Porsche para PPE [plataforma ], a Volkswagen para MEB [plataforma] e nossa própria plataforma, a MLB. Temos o poder de desenvolver e produzir plataformas dedicadas para a maioria das tecnologias”, desconversou Hoffman.

Enquanto o A4 100% elétrico não sai do papel, a ideia é dar ao sedã um alcance elétrico de cerca de 100 quilômetros nos futuros híbridos, com sistema de 48 volts. Isso permitirá que o chassi do A4 fique inalterado e fiel às proporções atuais, mantendo, inclusive, a distância entre-eixos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos