Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    34.423,70
    +581,65 (+1,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Audacity se defende contra acusações de que estaria coletando dados de usuários para venda

·2 minuto de leitura
Audacity se defende contra acusações de que estaria coletando dados de usuários para venda
Audacity se defende contra acusações de que estaria coletando dados de usuários para venda

O serviço de edição de áudio Audacity, um dos mais usados do mundo, está sendo acusado de coletar dados de usuários para venda. Tudo começou após a nova política de privacidade na última atualização da plataforma, em que o site passa a ter ao país, endereço de IP, relatório de falhas, processador e versão do sistema operacional de quem usa o editor.

Na última segunda-feira (5), a Muse Group, dona do Audacity se defendeu e disse que a confusão ocorreu devido a uma escrita confusa das regras da nova política e negou que tenha a intenção de usar a ferramenta para spyware, que consistem em coletar dados para vender a terceiros.

A Muse Group reforçou que as informações não vão ser entregues para outras empresas em hipótese alguma e que qualquer tipo de liberação só irá ocorrer com ordem judicial. “Acreditamos que as preocupações se devem em grande parte a frases pouco claras na Política de Privacidade, que agora estamos corrigindo”, disse a empresa.

A companhia também garantiu que vai corrigir o texto da nova política de dados do Audacity para tornar mais claros os objetivos da mudança. “Entendemos que a formulação pouco clara da Política de Privacidade e a falta de contexto em relação à introdução levaram a grandes preocupações sobre como usamos e armazenamos os dados muito limitados que coletamos. Estaremos publicando uma versão revisada em breve”, completou ainda.

Nova política de dados do Audacity

A nova política diz que a dona do Audacity, pode compartilhar os dados com “qualquer órgão competente de aplicação da lei, regulador, agência governamental, tribunal ou outro terceiro onde acreditamos que a divulgação seja necessária”.

Leia mais:

O texto explica ainda que as informações vão ficar armazenadas em servidores na Europa, mas podem ser enviadas em determinadas ocasiões para escritórios na Rússia e nos Estados Unidos. Menores de 13 anos também passam a ser proibidos no editor nas novas regras, assim como ocorre com redes sociais. Mas até isso é polêmico, já que a licença em que o serviço funciona não permite restrições de uso.

Caso o usuário não aceite a nova política, vai ter que permanecer usando a versão 3.0.3 do programa e não vai poder atualizar o sistema. O Muse Group, que também é dono do Ultimate Guitar, não se pronunciou sobre a coleta de dados do Audacity.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos