Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.954,70
    +2.575,78 (+2,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.698,06
    +430,86 (+1,02%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,89
    +1,83 (+4,25%)
     
  • OURO

    1.804,90
    -32,90 (-1,79%)
     
  • BTC-USD

    19.042,03
    +590,06 (+3,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    378,44
    +8,69 (+2,35%)
     
  • S&P500

    3.635,41
    +57,82 (+1,62%)
     
  • DOW JONES

    30.046,24
    +454,97 (+1,54%)
     
  • FTSE

    6.432,17
    +98,33 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    12.080,75
    +175,50 (+1,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3870
    -0,0533 (-0,83%)
     

Atracação de navios em portos do Paraná avança 6% em 2020; fluxo segue intenso

·2 minuto de leitura
Navio atracado no porto de Paranaguá (PR)
Navio atracado no porto de Paranaguá (PR)

SÃO PAULO (Reuters) - O número de atracações de navios em 2020 em instalações operadas pela Portos do Paraná atingiu no último domingo a marca de 2.179, cifra que representa alta de quase 6% em relação a igual período do ano passado, informou a companhia de logísticas nesta terça-feira.

O volume movimentado no acumulado deste ano soma 51,5 milhões de toneladas, segundo a estatal ligada ao governo paranaense, responsável pelos portos de Antonina e Paranaguá --este, o segundo maior do país em embarques de grãos como soja, atrás apenas do porto de Santos.

Em comunicado, a Portos do Paraná afirmou também que a quantidade de embarcações atracadas e em operação neste momento fica próxima da taxa de 100% de ocupação do cais e píeres nos dois portos, indicando um fluxo intenso --na última quinta-feira, havia 21 navios atracados nas unidades.

"Diante da demanda, que está muito grande, fazemos um bom trabalho de programação, fazendo com que a gente tire o máximo de aproveitamento dos nossos espaços", disse em nota o diretor de Operações da Portos do Paraná, Luiz Teixeira da Silva Júnior.

O diretor-presidente da empresa, Luiz Fernando Garcia, acrescentou que essa demanda crescente reflete uma "missão de entregar alimentos e produtos essenciais para o mundo".

As exportações de commodities agrícolas do Brasil ganharam força em 2020, diante da firme demanda externa --especialmente da China-- e da desvalorização do dólar frente ao real, o que torna os produtos locais mais competitivos.

Dados divulgados pela Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec) na semana passada apontaram que, no acumulado do ano até outubro, Paranaguá foi responsável por embarques de 14,07 milhões de toneladas de soja, ante 11,3 milhões no ano completo de 2019.

Os embarques de farelo de soja por Paranaguá se aproximavam, ao final de outubro, dos níveis reportados no total de 2019, com 4,6 milhões de toneladas já embarcadas.

Por outro lado, as exportações de milho do porto paranaense no ano somavam 1,6 milhão de toneladas, ante 5,6 milhões de toneladas em 2019 inteiro, segundo a Anec.

(Por Gabriel Araujo)