Ato contra redistribuição dos royalties do petróleo reúne 200 mil no Rio

Rio de Janeiro, 26 nov (EFE).- Milhares de pessoas se manifestaram nesta segunda-feira no centro do Rio de Janeiro para protestar contra o projeto de lei 2.565, que prevê a redistribuição dos royalties do petróleo.

O projeto legislativo, que pretende repartir os lucros do petróleo de forma equitativa entre todos os estados, foi aprovado pelo Congresso e para entrar em vigor depende apenas da sanção da presidente Dilma Rousseff.

A manifestação, chamada de "Veta, Dilma", reuniu cerca de 200 mil pessoas, segundo balanço divulgado pela Polícia Militar às 18h (de Brasília).

O ato, organizado por autoridades, sindicatos, partidos políticos e até um grupo de apoio aos direitos dos homossexuais, contou com a participação de vários artistas, como a apresentadora Xuxa e a atriz Fernanda Montenegro, além de atletas como o jogador Deco e campeões olímpicos como o nadador César Cielo e o iatista Torben Grael.

Os principais municípios produtores de petróleo, como Campos dos Goytacazes e Macaé, os mais afetados pela nova distribuição dos royalties, tiveram uma grande representação na manifestação com o apoio de suas Prefeituras, que alugaram dezenas de ônibus para transportar milhares de pessoas ao centro do Rio.

O governo calcula que a nova lei fará com que o estado do Rio perca, já em 2013, R$3,4 bilhões em receita com royalties e participações especiais na exploração de petróleo. Até 2020, a estimativa é que a perda acumulada chegue a R$ 77 bilhões.

O governador Sérgio Cabral disse no ato que, sem os fundos do petróleo, algumas obras para a Copa do Mundo de 2014 e para os Jogos Olímpicos de 2016 estariam "comprometidas".

Se o Rio de Janeiro não puder cumprir seus compromissos para estes eventos esportivos, o Governo Federal deverá pagar as obras que foram planificadas, segundo os contratos assinados com o Comitê Olímpico Internacional e a Fifa. EFE

Carregando...