Mercado fechará em 4 h 29 min
  • BOVESPA

    101.026,89
    +474,45 (+0,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.617,67
    -51,58 (-0,13%)
     
  • PETROLEO CRU

    40,59
    +0,56 (+1,40%)
     
  • OURO

    1.902,00
    -27,50 (-1,43%)
     
  • BTC-USD

    12.873,08
    +1.816,07 (+16,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    259,79
    +3,69 (+1,44%)
     
  • S&P500

    3.426,40
    -9,16 (-0,27%)
     
  • DOW JONES

    28.118,83
    -91,99 (-0,33%)
     
  • FTSE

    5.778,14
    +1,64 (+0,03%)
     
  • HANG SENG

    24.786,13
    +31,71 (+0,13%)
     
  • NIKKEI

    23.474,27
    -165,19 (-0,70%)
     
  • NASDAQ

    11.611,50
    -79,75 (-0,68%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6065
    -0,0435 (-0,65%)
     

O Atlético, e tático, e técnico, e físico Mineiro: 4 a 1 no Vasco

Mauro Beting
·3 minutos de leitura
Galo só sobe no BR-20 Pedro Vilela/Getty Images
Galo só sobe no BR-20 Pedro Vilela/Getty Images

Cinco pontos sobre o vice-líder. É muita distância em campeonato tão equlibrado. Mas desequilibrado por um dos poucos times que realmente jogam bem. O único que tem jogado bonito - mais do que o ainda favorito Flamengo, que tem oscilado demais, mas com mais potencial do que qualquer elenco na América, e ainda mais do que o redivivo e surpreendente Santos de Cuca.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

A pessoa física que mais pode reclamar do que tem feito o rubro-negro desde 2019 é Sampaoli. Que fez belo trabalho no ótimo vice-campeonato santista no Brasileirão passado (conquistado pelo melhor time que vi no século, o de JJ). E que vai repetindo o serviço agora só tendo o Brasileirão para focar. Com um elenco que não é barato. Mas que, mais uma vez, rende mais do que o planejado com o técnico.

Leia também:

Nem vou falar do segundo tempo no Mineirão na virada sobre o Vasco por 4 a 1. Até por eu realmente não ter visto a segunda etapa.

Mas basta o que se viu em impiedosos 45 iniciais. Mesmo sofrendo aos 8 minutos um golaço de bicicleta do ótimo achado vascaíno Benítez, em jogada nascida de um lateral longo (que sempre será arma letal e que pode ser sempre usada, ainda mais com a falha de Réver no lance). Saiu o gol vascaíno. Mas quase mais não foi preciso Everson trabalhar.

E impressiona além do volume e da volúpia, a eficência nas conclusões mineiras: o Galo teve umas sete chances de gol. Marcou quatro: duas delas em bolas roubadas na entrada da área vascaína que deram nos dois pênaltis, o do terceiro e do quarto gol. Como bem destacou o PVC na transmissão do Premiere, até então foram quatro bolas roubadas apenas: duas deram gols. E mais não foram retomadas pelo Atlético quase sempre ter a bola. E querer ficar com ela.

E do jeito que Sampaoli quer. Muito mérito dele: o time que ele escalou contra o Vasco era algo próximo a um 3-1-3-3. Quando não um pouco usual 3-1-5-1.

Everson bem na meta e ajudando a construir o jogo e muito bem na sobra da linha de zaga alta; o lateral-direito Guga foi um zagueiro pela direita e um lateral construtor com o recuo consentido carioca; Réver na sobra e Júnior Alonso pela esquerda do trio de zaga; na frente deles, o ótimo Jair para construir lances verticais como pede o treinador; mais à frente, e quase sempre la na frente, Franco e Nathan por dentro, com Arana chegando muito em diagonal, como no belo gol de empate do clássico, aos 13.

Abertos pelos cantos, Savarino e Keno, com Sasha como pivô. Pontas que também sabem fechar, como Savarino virou o placar como se fosse centroavante, aos 17, depois de mais um belo lance de Keno.

O Galo mostrou mais uma vez, e tem se mostrado na frente, que tem como ao menos querer ser mais ousado e abusado e ofensivo.

E inventivo taticamente.

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos