Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,32 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -909,02 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,83
    -0,31 (-0,36%)
     
  • OURO

    1.836,10
    +4,30 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    35.276,18
    -17,21 (-0,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,03 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,25 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,64 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -15,50 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

Atlético-MG conquista o Campeonato Brasileiro após 50 anos

·3 min de leitura
SALVADOR, BA, 02.12.2021 – BAHIA-ATLÉTICO-MG: Keno, do Atlético-MG, comemora seu gol - Partida entre Bahia e Atlético-MG, válida pela 32ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro 2021, realizada na Arena Fonte Nova, em Salvador, na capital baiana, na noite desta quinta-feira. (Foto: San Jr/Uaifoto/Folhapress)
SALVADOR, BA, 02.12.2021 – BAHIA-ATLÉTICO-MG: Keno, do Atlético-MG, comemora seu gol - Partida entre Bahia e Atlético-MG, válida pela 32ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro 2021, realizada na Arena Fonte Nova, em Salvador, na capital baiana, na noite desta quinta-feira. (Foto: San Jr/Uaifoto/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O que era uma questão de tempo tornou-se realidade nesta quinta-feira (2). Depois de cinquenta anos, o Atlético-MG conquistou novamente o Campeonato Brasileiro, o segundo da história do clube.

Com uma campanha histórica, a equipe mineira ficou com a taça após vencer o Bahia por 3 a 2, com uma virada impressionante, depois que o time baiano chegou a abrir dois gols de vantagem.

Na Fonte Nova, todos os gols saíram já no segundo tempo. E a virada atleticana começou a ser construída com um gol do artilheiro Hulk, aos 27 minutos, de pênalti. Depois, Keno marcou duas vezes, aos 28 e aos 32 minutos, para delírio dos atleticanos.

Luis Otávio e Gilberto marcaram pelo Bahia, que luta contra o rebaixamento e permanece em 17º, na parte vermelha da classificação, com 40 pontos.

Ao somar 81 pontos, com 25 vitórias em 36 duelos, o time dirigido por Cuca não pode mais ser alcançado pelo Flamengo, que tem 70 pontos, com somente mais 9 possíveis para conquistar até o fim da competição.

Além da vantagem confortável, a pontuação dos atleticanos colocou a equipe com um desempenho superior ao obtido por 10 dos outros 15 campeões brasileiros na era dos pontos corridos com 20 clubes.

Somente o Cruzeiro de 2014 (80), o Corinthians de 2015 (81), o Palmeiras de 2016 e de 2018 (ambos 80) e o Flamengo de 2019 (90) somaram mais pontos. Desses, os cariocas são os únicos que não podem ser superados pelo Atlético-MG, que ainda tem mais nove pontos a disputar.

O elenco comandado por Cuca volta a campo na quinta-feira (2), quando encara o Bahia, em Salvador. Já o reencontro com a torcida, no Mineirão, será no domingo (5), no duelo com o Red Bull Bragantino.

Jogar em casa, aliás, foi um fator determinante para os atleticanos. Afinal, o time defende atualmente uma série de 15 vitórias consecutivas como mandante, um recorde histórico no Nacional.

Isso sem deixar de pontuar fora de casa. O Atlético tem também o melhor aproveitamento como visitante, com 56% dos pontos conquistados. Na última rodada do Brasileiro, o adversário será o Grêmio, em Porto Alegre, no dia 9 --os gaúchos lutam contra o rebaixamento.

São números que refletem méritos defensivos, como a defesa menos vazada da competição, com 27 gols sofridos, além de um ataque poderoso, que conta inclusive com o artilheiro do campeonato, Hulk. Aos 35 anos, ele já balançou as redes 18 vezes. Ele também é o goleador do time na temporada, com 33 gols, e uma das principais esperanças para a luta por mais um título. Nos dias 12 e 15 de dezembro, o time mineiro terá a decisão da Copa do Brasil, contra o Athletico.

Até lá, os torcedores atleticanos só querem saber de fazer festa. Aliás, nem dá para dizer que o grito de campeão estava entalado na garganta. Afinal, no domingo (28), depois da vitória sobre o Fluminense, os jogadores e até o técnico Cuca festejaram com a torcida no Mineirão.

BAHIA

Danilo Fernandes, Nino, Conti, Luiz Otávio e Matheus Bahia; Patrick de Lucca, Mugni (Daniel, aos 30 do 2º) e Rodriguinho (Ronaldo, aos 33 do 2º); Rossi, Raí (Ramírez, aos 42 do 2º) e Gilberto (Rodallega, aos 31 do 2º). T.: Guto Ferreira.

ATLÉTICO-MG

Atlético-MG: Everson, Mariano, Junior Alonso, Nathan Silva e Guilherme Arana; Tchê Tchê, Zaracho (Rabelo, aos 35 do 2º) e Nacho Fernández (Sasha, aos 22 do 2º); Keno (Dodô, aos 40 do 2º), Vargas (Nathan, aos 22 do 2º) e Hulk. T.: Cuca.

Estádio: Fonte Nova, em Salvador (BA)

Árbitro: Flavio Rodrigues (SP)

Assistentes: Marcelo Carvalho (SP) e Alex Ang (SP)

VAR: Rodrigo Guarizo (SP)

Cartões amarelos: Mugni (BAH); Guilherme Arana, Nathan e Sasha (CAM)

Gols: Luiz Otávio (BAH), aos 16', Gilberto (BAH), aos 20', Hulk (CAM), aos 27', Keno (CAM), aos 28' e 32'/2ºT

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos