Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.575,47
    +348,47 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.674,30
    -738,20 (-1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,52
    -0,01 (-0,02%)
     
  • OURO

    1.783,10
    -22,40 (-1,24%)
     
  • BTC-USD

    18.168,14
    +400,08 (+2,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    333,27
    -4,23 (-1,25%)
     
  • S&P500

    3.638,35
    +8,70 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    29.910,37
    +37,87 (+0,13%)
     
  • FTSE

    6.367,58
    +4,65 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.894,68
    +75,28 (+0,28%)
     
  • NIKKEI

    26.644,71
    +107,41 (+0,40%)
     
  • NASDAQ

    12.273,25
    +15,75 (+0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3930
    +0,0531 (+0,84%)
     

Ativos de risco entram em ‘zona de perigo’ nos próximos meses

Joanna Ossinger
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Investidores talvez sejam muito complacentes com os riscos futuros dos mercados nos próximos dois meses, segundo estrategistas do Morgan Stanley, RBC Capital Markets e Société Générale.

À medida que uma série de catalisadores positivos chega ao fim - incluindo maior clareza sobre a temporada de balanços, um novo fundo de recuperação da União Europeia e a possibilidade de mais estímulos fiscais nos EUA -, o ambiente favorável para ativos de risco deve mudar, disseram estrategistas do Morgan Stanley, sob comando de Andrew Sheets, em relatório na sexta-feira.

A equipe sugeriu que investidores reduzam a exposição à “zona de perigo” de agosto a setembro, quando a sazonalidade piora para ações e crédito, a eleição presidencial dos EUA entra em foco e um período “excepcional” de surpresas econômicas positivas provavelmente desacelere.

“Nos próximos dois meses, catalisadores positivos desaparecem, a sazonalidade piora e surgem riscos a curto prazo”, escreveram. Eles recomendaram que investidores aumentem os saldos de caixa e comprem proteção do índice de swap de crédito no mercado de títulos. A equipe também sugeriu considerar ativos europeus, que têm maior probabilidade de desempenho positivo.

Amy Wu Silverman, estrategista de derivativos da RBC Capital Markets, concorda que os mercados podem se tornar mais voláteis em agosto, pelo menos nos EUA, segundo relatório de 19 de julho. Os riscos incluem estímulo fiscal menos favorável do que o esperado e discussões no Congresso em torno de pacotes de ajuda relacionados ao coronavírus - com risco de que desacordos partidários barrem totalmente a aprovação de outro pacote, disse.

“Agosto pode ser instável”, afirmou. “Acho que a volatilidade a curto prazo vai aumentar.”

Enquanto isso, investidores preocupados com o retorno da volatilidade devem considerar ativos como o iene e o franco suíço, de acordo com o estrategista-chefe de câmbio do Société Générale, Kit Juckes.

“Depois de uma primavera espetacular para ativos de risco, neste ano ainda mais do que na maioria, recomendamos aplicar muita proteção", escreveu na segunda-feira. “Não se esqueça do filtro solar, algo para cobrir seu rosto, alguns ienes, alguns francos suíços e alguma volatilidade euro/dólar que podem ser úteis se as coisas ficarem um pouco animadas.”

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.