Mercado fechado

Atividade do setor de serviços esfria nos EUA em outubro--ISM

·2 minuto de leitura
.
.

WASHINGTON (Reuters) - A atividade do setor de serviços dos EUA desacelerou em outubro, com a moderação do crescimento de novos pedidos e do emprego, provavelmente refletindo preocupações sobre o declínio do estímulo fiscal e um ressurgimento de novos casos de Covid-19 em todo o país.

O Instituto de Gestão do Fornecimento (ISM, na sigla em inglês) disse nesta quarta-feira que seu índice de atividade não-manufatureira caiu para uma leitura de 56,6 no mês passado, de 57,8 em setembro. Isso puxou o índice para baixo de seu nível de 57,3 em fevereiro.

Uma leitura acima de 50 indica crescimento no setor de serviços, que responde por mais de dois terços da atividade econômica dos EUA. Economistas ouvidos pela Reuters previam que o índice caísse para 57,5 ​​em outubro.

O setor de serviços está sendo limitado por uma mudança nos gastos com bens, conforme a pandemia de coronavírus mantém os americanos em casa, impulsionando o setor manufatureiro. O ISM informou na segunda-feira que a atividade industrial se acelerou em outubro, quando os novos pedidos atingiram seu nível mais alto em quase 17 anos.

O aumento das infecções por Covid-19 pode forçar as autoridades a impor novamente restrições para desacelerar a disseminação da doença respiratória com a aproximação do inverno no hemisfério norte, reduzindo os gastos.

A medida de novos pedidos da indústria de serviços da pesquisa ISM caiu para uma leitura de 58,8 em outubro, de 61,5 em setembro. Mas os pedidos em carteira e os pedidos de exportação aumentaram no mês passado. O índice de emprego na indústria de serviços da pesquisa caiu para 50,1, de uma leitura de 51,8 em setembro.

Isso está em linha com expectativas de crescimento mais lento do emprego em outubro.