Mercado abrirá em 9 horas 1 minuto
  • BOVESPA

    100.552,44
    +12,61 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.669,25
    +467,44 (+1,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,77
    -0,26 (-0,65%)
     
  • OURO

    1.917,10
    -12,40 (-0,64%)
     
  • BTC-USD

    12.779,98
    +1.722,97 (+15,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    256,13
    +11,24 (+4,59%)
     
  • S&P500

    3.435,56
    -7,56 (-0,22%)
     
  • DOW JONES

    28.210,82
    -97,97 (-0,35%)
     
  • FTSE

    5.776,50
    -112,72 (-1,91%)
     
  • HANG SENG

    24.666,46
    -87,96 (-0,36%)
     
  • NIKKEI

    23.454,85
    -184,61 (-0,78%)
     
  • NASDAQ

    11.622,00
    -69,25 (-0,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6510
    +0,0010 (+0,02%)
     

Atividade industrial no Reino Unido mantém expansão, mas ritmo diminui

Rafael Vazquez
·1 minuto de leitura

O PM industrial do país recuou para 54,1 pontos em setembro, vindo de 55,2 em agosto. Leituras acima de 50 indicam expansão do setor Chris Ratcliffe/Bloomberg O setor industrial do Reino Unido deu prosseguimento a sua recuperação após o colapso causado em março e abril pela pandemia de covid-19, mas o ritmo caiu. O Índice de Gerente de Compras (PMI, na sigla em inglês) industrial do Reino Unido recuou para 54,1 pontos em setembro, de 55,2 em agosto, segundo os dados da pesquisa IHS Markit /CIPS. O resultado também veio abaixo da estimativa preliminar, que era 54,3. Leituras acima de 50 indicam expansão do setor, enquanto abaixo de 50 apontam contração. Ao permanecer acima de 50, o PMI industrial do Reino Unido se manteve em território de expansão pelo quarto mês seguido, a sequência mais longa desde o começo de 2019, segundo a IHS Markit e o Instituto Chartered de Aquisições e Suprimentos (CIPS, na sigla em inglês). “A indústria fez um progresso sólido em direção à recuperação em setembro, com apenas um pequeno passo atrás de agosto e no maior nível em dois anos e meio”, disse em comunicado o diretor do CIPS, Duncan Brock. “O ímpeto por trás dessa recuperação está na liberação de projetos atrasados e mais pessoas voltando ao trabalho, mas o quadro geral de empregos escureceu significativamente. Algumas empresas continuaram a fazer uso do regime de licença para reter sua força de trabalho, mas o maior número de demissões neste mês significa que temos um péssimo final para o terceiro trimestre, com o número de empregos caindo para pelo oitavo mês consecutivo”, ponderou Brock.