Mercado abrirá em 1 h 19 min
  • BOVESPA

    109.068,55
    -1.120,02 (-1,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.725,96
    -294,69 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,50
    +0,49 (+0,68%)
     
  • OURO

    1.794,90
    -3,10 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    16.827,75
    +1,11 (+0,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    395,17
    -6,87 (-1,71%)
     
  • S&P500

    3.933,92
    -7,34 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    33.597,92
    +1,58 (+0,00%)
     
  • FTSE

    7.486,09
    -3,10 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    19.450,23
    +635,41 (+3,38%)
     
  • NIKKEI

    27.574,43
    -111,97 (-0,40%)
     
  • NASDAQ

    11.535,75
    +26,25 (+0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4745
    +0,0081 (+0,15%)
     

Atividade industrial dos EUA tem crescimento mais lento em 2 anos e meio em setembro, aponta ISM

Fábrica da BMW em Greer, EUA

WASHINGTON (Reuters) - A atividade industrial dos Estados Unidos cresceu em setembro no ritmo mais lento em quase dois anos e meio devido à contração de novas encomendas, provavelmente porque o aumento dos juros para domar a inflação esfriou a demanda por bens.

O Instituto de Gestão de Fornecimento (ISM, na sigla em inglês) disse nesta segunda-feira que seu PMI de manufatura caiu para 50,9 este mês, a menor leitura desde maio de 2020, de 52,8 em agosto.

Leitura acima de 50 indica expansão na manufatura, que responde por 11,9% da economia dos EUA. Economistas consultados pela Reuters projetavam 52,3.

Parte da desaceleração na manufatura reflete a rotação dos gastos de bens para serviços. Dados do governo na última sexta-feira mostraram que os gastos com bens manufaturados duráveis mal subiram em agosto, enquanto os gastos com serviços aumentaram.

Desde março, o Federal Reserve aumentou sua taxa de juros de quase zero para a faixa atual de 3,00% a 3,25%, e no mês passado sinalizou que mais aumentos grandes estavam a caminho este ano.

Os custos de empréstimo mais altos estão diminuindo os gastos com itens de grande valor como eletrodomésticos e móveis.

O subíndice de novos pedidos da pesquisa ISM caiu para 47,1 no mês passado, também a leitura mais baixa desde maio de 2020, de 51,3 em agosto. Foi a terceira vez este ano que o índice contraiu. Os pedidos em atraso também estão sendo reduzidos. Embora isso aponte para uma maior desaceleração na manufatura, também indica alívio nos gargalos da cadeia de abastecimento

Com a melhora das cadeias de abastecimento, as pressões de inflação no portão das fábricas continuaram a diminuir.

Uma medida de preços pagos pelos fabricantes caiu para 51,7, a menor desde junho de 2020, de 52,5 em agosto. A desaceleração contínua está sendo impulsionada pelo recuo dos preços das commodities.

(Reportagem de Lucia Mutikani)