Mercado fechado

Atividade industrial da zona do euro contrai em julho em meio a temores de recessão

Fábrica da Knaus-Tabbert AG em Jandelsbrunn, Alemanha

LONDRES (Reuters) - A atividade industrial da zona do euro contraiu no mês passado com fábricas forçadas a estocar mercadorias não vendidas devido à demanda fraca, mostrou uma pesquisa nesta segunda-feira, ampliando as preocupações de que o bloco pode cair em recessão.

O Índice de Gerentes de Compras (PMI) de indústria da S&P Global caiu para 49,8 em julho de 52,1 de junho e ante leitura preliminar de 49,6, na primeira vez abaixo da marca de 50 que separa crescimento de contração desde junho de 2020.

O subíndice que mede a produção afundou para a mínima de mais de dois anos de 46,3, contra 49,3 em junho.

"A indústria da zona do euro está afundando em uma queda cada vez mais acentuada, aumentando os riscos de recessão na região. As novas encomendas já estão caindo a um ritmo que, excluindo os meses de lockdown da pandemia, é o mais acentuado desde a crise da dívida em 2012, com provável piora à frente", disse Chris Williamson, economista chefe de negócios da S&P Global.

O subíndice de novas encomendas caiu de 45,2 para 42,6, seu menor nível desde maio de 2020, quando a pandemia de coronavírus começava a dominar o mundo, indicando poucas chances de uma reviravolta em breve.

A S&P Global disse que a produção estava caindo em todos os países pesquisados, a não ser pela Holanda, e que a taxa de declínio era particularmente preocupante na Alemanha, França e Itália - as três maiores economias do bloco.

(Reportagem de Jonathan Cable)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos