Mercado abrirá em 8 h 19 min
  • BOVESPA

    99.621,58
    -969,83 (-0,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.061,61
    -373,84 (-0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,90
    +0,12 (+0,11%)
     
  • OURO

    1.816,80
    -0,70 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    20.057,36
    -265,92 (-1,31%)
     
  • CMC Crypto 200

    430,86
    -8,80 (-2,00%)
     
  • S&P500

    3.818,83
    -2,72 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    31.029,31
    +82,32 (+0,27%)
     
  • FTSE

    7.312,32
    -11,09 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    22.002,58
    +5,69 (+0,03%)
     
  • NIKKEI

    26.417,89
    -386,71 (-1,44%)
     
  • NASDAQ

    11.658,75
    -32,25 (-0,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4351
    +0,0245 (+0,45%)
     

Atividade empresarial dos EUA tem forte desaceleração em junho, mostra PMI

Atividade empresarial dos EUA tem forte desaceleração em junho, mostra PMI

WASHINGTON (Reuters) - A atividade empresarial dos Estados Unidos desacelerou consideravelmente em junho, uma vez que a inflação elevada e uma queda na confiança do consumidor reduziram a demanda de forma generalizada, resultando na primeira contração em quase dois anos da medida de novas encomendas.

A S&P Global disse nesta quinta-feira que seu índice PMI Composto preliminar dos EUA, que acompanha os setores de manufatura e serviços, caiu para 51,2 neste mês, de leitura final de 53,6 em maio. Esse foi o ritmo de crescimento mais lento em cinco meses.

Leitura acima de 50 indica expansão no setor privado.

Embora a economia pareça ter se recuperado de um tombo no primeiro trimestre, que foi em grande parte impulsionado por um déficit comercial recorde, a leitura do PMI sugere que o ímpeto está diminuindo. Os dados somam-se à fraqueza recente de relatórios sobre vendas no varejo, construção de moradias, alvarás de construção, vendas de residências e manufatura nos Estados Unidos.

A economia norte-americana está lutando contra uma inflação elevada, com os preços ao consumidor subindo no ritmo mais rápido em mais de 40 anos em base anual, forçando o Federal Reserve a apertar agressivamente a política monetária.

O índice preliminar composto de encomendas caiu para 47,4, indicando a primeira contração desde julho de 2020, de leitura de 54,9 em maio. As carteiras de pedidos também caíram pela primeira vez em dois anos.

Com a queda dos pedidos, a confiança das empresas recuou para o nível mais baixo desde setembro de 2020.

"A confiança das empresas está agora em um nível que normalmente anunciaria uma desaceleração econômica, aumentando o risco de recessão", disse Chris Williamson, economista-chefe da S&P Global Market Intelligence.

O enfraquecimento da demanda, no entanto, levou a alguma moderação nos preços tanto de insumos quanto de produtos acabados. Ainda assim, a inflação nas fábricas e setor de serviços permaneceu elevada.

O PMI preliminar de manufatura da pesquisa recuou para 52,4, de 57,0 em maio. Economistas consultados pela Reuters previam queda para 56,0.

Já o PMI preliminar do setor de serviços caiu para leitura de 51,6, de 53,4 em maio.

(Por Lucia Mutikani)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos