Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.829,73
    -891,85 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.335,51
    -713,54 (-1,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,51
    +0,37 (+0,48%)
     
  • OURO

    1.887,20
    +2,40 (+0,13%)
     
  • BTC-USD

    23.316,52
    +513,66 (+2,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    538,45
    +12,50 (+2,38%)
     
  • S&P500

    4.164,00
    +52,92 (+1,29%)
     
  • DOW JONES

    34.156,69
    +265,67 (+0,78%)
     
  • FTSE

    7.864,71
    +28,00 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    21.298,70
    +76,54 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    27.478,91
    -206,56 (-0,75%)
     
  • NASDAQ

    12.758,25
    -18,50 (-0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5787
    +0,0016 (+0,03%)
     

Atividade empresarial da zona do euro volta a crescer em janeiro, mostra PMI

Fábrica da Knaus-Tabbert AG em Jandelsbrunn, Alemanha

LONDRES (Reuters) - A atividade empresarial da zona do euro fez um retorno inesperado a um modesto crescimento em janeiro, ampliando os sinais de que a retração no bloco pode não ser tão profunda quanto se temia e que a união monetária pode escapar da recessão, mostrou uma pesquisa.

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) Composto da S&P Global, visto como um bom indicador da saúde econômica geral, subiu de 49,3 em dezembro para 50,2 este mês.

Janeiro foi a primeira vez que o índice ficou acima da marca dos 50, que separa o crescimento da contração, desde junho. O resultado ainda ficou acima da expectativa em pesquisa da Reuters de 49,8.

"A pesquisa sem dúvida traz boas notícias bem-vindas para sugerir que qualquer retração provavelmente será muito menos severa do que anteriormente temido e que uma recessão pode ser evitada completamente", disse Chris Williamson, economista-chefe de negócios da S&P Global Market Intelligence.

Um inverno ameno até agora, a queda dos preços do gás e os recentes dados econômicos positivos levaram a uma melhora em algumas previsões de crescimento trimestral em pesquisa da Reuters publicada na segunda-feira, embora uma recessão técnica ainda estivesse prevista.

Em um sinal de que estão mais otimistas, as empresas aumentaram o número de funcionários a um ritmo mais rápido este mês. O índice de emprego subiu de 51,9 em dezembro para 52,5 em três meses de alta.

O PMI que cobre o setor de serviços também surpreendeu pelo lado positivo, chegando a uma máxima de seis meses de 50,7, contra 49,8 em dezembro e 50,2 em pesquisa da Reuters.

A atividade industrial também mostrou melhora, mas ainda assim contraiu. O PMI de indústria subiu de 47,8 para 48,8 este mês, ante expectativa de 48,5.

(Reportagem de Jonathan Cable)