Mercado fechará em 1 h 17 min
  • BOVESPA

    108.513,31
    +2.217,13 (+2,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.827,95
    -61,71 (-0,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,90
    +0,14 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.807,40
    +11,10 (+0,62%)
     
  • BTC-USD

    63.029,39
    +2.668,28 (+4,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.507,75
    +1.265,07 (+521,29%)
     
  • S&P500

    4.567,36
    +22,46 (+0,49%)
     
  • DOW JONES

    35.744,29
    +67,27 (+0,19%)
     
  • FTSE

    7.222,82
    +18,27 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    26.132,03
    +5,10 (+0,02%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.498,25
    +157,25 (+1,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4443
    -0,1365 (-2,07%)
     

Atividade econômica cresce 0,6% em julho, diz Monitor do PIB da FGV

·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* São Paulo, SP, Brasil, 08-02-2019: Still Mercado. Calculadora cinentífica. (foto Gabriel Cabral/Folhapress)
*ARQUIVO* São Paulo, SP, Brasil, 08-02-2019: Still Mercado. Calculadora cinentífica. (foto Gabriel Cabral/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A atividade econômica do país avançou 0,6% em julho, frente a junho, indica o Monitor do PIB, calculado pelo FGV Ibre (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas). Na comparação com julho de 2020, houve alta de 6,6%, conforme os dados divulgados nesta sexta-feira (17).

A pesquisa ainda traz recorte trimestral. Conforme o monitor, a atividade cresceu 0,3% no trimestre móvel encerrado em julho, frente ao imediatamente anterior, finalizado em abril.

Na comparação com o mesmo trimestre de 2020, o crescimento foi mais elevado, de 9,6%.

O Monitor do PIB busca antecipar o ritmo da atividade econômica no país. O resultado oficial do PIB é calculado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O dado mais recente divulgado pelo IBGE é referente ao segundo trimestre deste ano, quando o PIB encolheu 0,1%.

Analistas salientam que o avanço da vacinação contra a Covid-19 representa um estímulo para a economia no segundo semestre. Setores que dependem da circulação de clientes, como serviços de bares, restaurantes e hotéis, apostam na imunização para retomar negócios.

O desempenho da atividade econômica, por outro lado, é desafiado por uma série de ameaças neste momento. Escalada da inflação, desemprego elevado, risco de falta de energia elétrica e crise política protagonizada pelo governo Jair Bolsonaro (sem partido) fazem parte dessa lista.

Em meio a esse cenário, instituições financeiras passaram a reduzir as estimativas para a alta do PIB. Uma nova rodada de revisões feita por analistas nos últimos dias já projeta crescimento abaixo de 1% em 2022.

A pressão inflacionária tem sido puxada por itens como os combustíveis e a conta de luz, que ficou mais cara em razão da seca prolongada. A crise hídrica também gera risco de falta de energia elétrica, caso não haja melhora no quadro de chuvas.

Já a crise política eleva incertezas entre agentes econômicos, o que joga contra investimentos produtivos na economia, importantes para a melhora do emprego. No segundo trimestre, dado mais recente à disposição, o Brasil tinha 14,4 milhões de desempregados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos