Mercado fechado

Atividade da indústria dos EUA tem em outubro ritmo mais fraco em quase 2 anos e meio, aponta ISM

Fábrica da Polaris em Minnesota, EUA

WASHINGTON (Reuters) - A atividade industrial dos Estados Unidos cresceu em outubro no ritmo mais lento em quase dois anos e meio, enquanto uma medida dos preços pagos pelas empresas por insumos recuou pelo sétimo mês consecutivo, à medida que o movimento agressivo do Federal Reserve para aumentar a taxa de juros esfriou a demanda por bens.

O Instituto de Gestão de Fornecimento (ISM) informou nesta terça-feira que seu PMI de manufatura caiu para 50,2 no mês passado, de 50,9 em setembro, ambas as leituras mais baixas desde maio de 2020.

Uma leitura acima de 50 sinaliza expansão na manufatura, que responde por 11,9% da economia dos EUA. Os economistas consultados pela Reuters projetavam queda do índice para 50,0.

O Fed deve aumentar os juros em 0,75 ponto percentual por uma quarta vez consecutiva na conclusão de sua reunião de política monetária na quarta-feira, o ritmo mais rápido de aperto em 40 anos.

Desde março, o Fed já elevou os juros de quase zero para uma faixa atual de 3,00% a 3,25%, em sua batalha contra a inflação elevada.

Mas embora a atividade geral de manufatura tenha caído, o subíndice de novas encomendas do ISM subiu para 49,2 no mês passado, de 47,1 em setembro, indicando alguma resiliência entre os consumidores dos EUA, mesmo que as ações do Fed comecem a pesar nos bolsos.

Com as cadeias de abastecimento funcionando mais normalmente, as pressões de inflação no portão das fábricas continuaram a diminuir.

Uma medida dos preços pagos pelos fabricantes caiu para 46,6, a menor leitura desde maio de 2020, de 51,7 em setembro. O índice de preços caiu quase 50% desde março, impulsionado pelo recuo dos preços das commodities.

(Reportagem de Lindsay Dunsmuir)