Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.933,78
    -180,15 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.072,62
    -654,36 (-1,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,55
    +0,17 (+0,27%)
     
  • OURO

    1.769,10
    -1,50 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    54.934,23
    -1.115,04 (-1,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.232,07
    -66,89 (-5,15%)
     
  • S&P500

    4.163,26
    -22,21 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    34.077,63
    -123,04 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.000,08
    -19,45 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    29.106,15
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    29.128,82
    -556,55 (-1,87%)
     
  • NASDAQ

    13.921,00
    +23,75 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6811
    +0,0054 (+0,08%)
     

Atividade da indústria da zona do euro dispara em março mas questões de oferta pesam, aponta PMI

·1 minuto de leitura
Fábrica em Codogno, Itália

LONDRES (Reuters) - O crescimento da atividade industrial da zona do euro atingiu o ritmo mais forte nos quase 24 anos de história da pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) no mês passado, mas problemas na cadeia de oferta e novos lockdowns podem segurar o avanço em breve.

O PMI final de indústria do IHS Markit saltou a 62,5 em março de 57,9 em fevereiro e preliminar de 62,4, na leitura mais elevada desde que a pesquisa começou em junho de 1997.

O subíndice de produção avançou a 63,3 de 57,6, bem acima da marca de 50 que separa crescimento de contração e máxima da pesquisa.

"A indústria da zona do euro está estourando", disse Chris Williamson, economista-chefe do IHS Markit.

"Embora centrada na Alemanha, que viu expansão recorde particularmente forte durante o mês, a tendência de melhora é generalizada na região conforme as fábricas se beneficiam do aumento da demanda doméstica e do ressurgimento do crescimento das exportações."

Mas questões na cadeia de oferta provocaram aumento dos preços e a maior alta nos tempos de entrega dos fornecedores desde que a pesquisa começou.

(Reportagem de Jonathan Cable)