Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,79 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,80 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,74
    -1,49 (-1,83%)
     
  • OURO

    1.668,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.188,21
    -75,20 (-0,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,09 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,93 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,89 (-1,84%)
     
  • NASDAQ

    11.058,25
    -170,00 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3079
    +0,0099 (+0,19%)
     

Atividade da indústria da China contrai em agosto com fraqueza de encomendas, mostra PMI do Caixin

Linha de produção em fábrica de Dezhou, China

PEQUIM (Reuters) - A atividade industrial da China contraiu pela primeira vez em três meses em agosto em meio ao enfraquecimento da demanda, enquanto a falta de energia e novos surtos de Covid-19 interromperam a produção, mostrou uma pesquisa do setor privado nesta quinta-feira.

O Índice de Gerentes de Compras (PMI) de indústria do Caixin/Markit caiu para 49,5 em agosto, de 50,4 em julho, abaixo da expectativa de analistas de 50,2.

A leitura inesperadamente fraca ecoou o PMI oficial da China divulgado na quarta-feira, que também ficou abaixo da marca de 50 pontos que separa crescimento de contração.

"A economia ainda está se recuperando lentamente de um surto generalizado de Covid-19 no primeiro semestre do ano. No entanto, surtos locais e a onda de calor interromperam a tendência e criaram novas pressões de baixa, representando uma ameaça à recuperação”, disse Wang Zhe, economista sênior do Caixin Insight Group.

A demanda permaneceu fraca, com subíndices de novas encomendas e novos pedidos de exportação voltando à contração após dois meses de expansão.

Os empresários da indústria cortaram empregos pelo quinto mês consecutivo para reduzir custos, ampliando as preocupações com o mercado de trabalho fraco que está pesando fortemente no consumo e na confiança do consumidor. Eles também reduziram as compras de materiais devido ao menor volume de novos pedidos.

(Reportagem de Liangping Gao, Ellen Zhang e Ryan Woo)