Mercado fechado
  • BOVESPA

    118.328,99
    -1.317,41 (-1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.810,21
    -315,50 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,95
    -0,18 (-0,34%)
     
  • OURO

    1.864,50
    -1,40 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    29.430,80
    -101,73 (-0,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    578,55
    -101,35 (-14,91%)
     
  • S&P500

    3.853,07
    +1,22 (+0,03%)
     
  • DOW JONES

    31.176,01
    -12,37 (-0,04%)
     
  • FTSE

    6.715,42
    -24,97 (-0,37%)
     
  • HANG SENG

    29.927,76
    -34,71 (-0,12%)
     
  • NIKKEI

    28.616,69
    -140,17 (-0,49%)
     
  • NASDAQ

    13.372,25
    -23,25 (-0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5110
    +0,0026 (+0,04%)
     

Atividade do comércio sobe 3,1% em fevereiro, diz Serasa Experian

Valor
·1 minuto de leitura

Dado foi impulsionado pelos setores de tecidos, vestuário, calçados e acessórios e supermercados hipermercados, alimentos e bebidas Os dados do Indicador de Atividade do Comércio da Serasa Experian mostram que fevereiro de 2020 registrou alta de 3,1% em comparação ao mesmo mês do ano anterior. O dado foi impulsionado pelos setores de tecidos, vestuário, calçados e acessórios (7,5%) e supermercados hipermercados, alimentos e bebidas (6,7%). Julio Bittencourt/Valor Apesar da variação positiva no comparativo anual, este foi o menor crescimento nesta base desde outubro de 2019. Segundo o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, “esta desaceleração percebida em relação aos últimos meses se deve à redução dos efeitos do saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, liberados no fim de 2019. Os setores que apresentaram maior crescimento em fevereiro podem ter sido impactados pelas vendas de Carnaval, que foi realizado mais cedo do que no ano passado”. Por segmentos, as vendas de móveis, eletrodomésticos, eletrônicos e informática apresentaram crescimento de 5% em fevereiro, enquanto os itens para reformas e construção registraram alta de 2,3% perante mesmo período de 2019. Veículos, motos e peças e combustíveis e lubrificantes tiveram queda no mês.