Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    47.672,07
    -3.004,86 (-5,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,33
    +39,77 (+2,93%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

Até que ponto os números devem preocupar? Defesa do Vasco tem pior início desde 2018

Felippe Rocha
·1 minuto de leitura


Os pontos que o Vasco precisa reparar são conhecidos. A defesa vem sofrendo com as bolas paradas e o resultado foi a eliminação precoce na Taça Guanabara. Por mais que se entenda que é um início de trabalho, os números não eram tão elevados desde a temporada 2018.

Naquela temporada, assim como na atual, o Cruz-Maltino levou 16 gols nos primeiros 12 jogos. E mesmo se descontados os dois jogos em que Marcelo Cabo e os principais jogadores não estiveram presentes, são 14 gols em dez partidas. Mais do que nos dois últimos inícios.

Em 2020, Abel Braga começou os trabalhos e o time sofreu sete gols nos 12 primeiros compromissos. Em 2019, quem estava na equipe no início da temporada era Alberto Valentim. O ótimo início de ano da equipe foi marcado, defensivamente, por seis gols sofridos no mesmo período.

-> Confira a tabela do Campeonato Carioca

A retaguarda esteve igualmente débil em 2018. Era Zé Ricardo naquela época em que o time levou 16 gols nas 12 primeiras partidas. O momento era de igual mudança de gestão no clube, mas o Cruz-Maltino dividia atenções também com a Copa Libertadores.

A torcida sabe bem que, ao final de cada temporada, desde a que começou com Zé Ricardo, a luta contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro foi uma realidade. A diferença é que esta começa com objetivo inverso já traçado. O Cruz-Maltino precisa retornar à elite. Para tanto, a defesa precisa melhorar.