Mercado fechará em 2 h 14 min
  • BOVESPA

    125.389,29
    +777,26 (+0,62%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,78
    +195,25 (+0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,42
    +0,77 (+1,07%)
     
  • OURO

    1.798,90
    -0,90 (-0,05%)
     
  • BTC-USD

    39.175,62
    +1.339,25 (+3,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    920,10
    -9,83 (-1,06%)
     
  • S&P500

    4.396,31
    -5,15 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.933,16
    -125,36 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.016,63
    +20,55 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    14.955,25
    +7,50 (+0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1148
    +0,0064 (+0,10%)
     

Astronautas cultivam pimentas na Estação Espacial Internacional pela 1ª vez

·3 minuto de leitura

A NASA está ampliando a variedade de alimentos cultivados em sua horta espacial. Dentro de alguns meses, as primeiras pimentas totalmente produzidas a partir do espaço poderão ser experimentadas pelos astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS). As 48 sementes da pimenta Hatch Green Chile chegaram à estação com a missão de reabastecimento CRS-22, no início de junho deste ano, para integrar a pesquisa Plant Habitat-04 (PH-04), da agência espacial norte-americana.

Não é de hoje que a NASA tem cultivado plantas a bordo da ISS. Por lá, já foram cultivados rabanetes e alfaces como parte da pesquisa PH-04, responsável por monitorar o crescimento de plantas cultivadas em condições de microgravidade. A maior parte da comunidade dos astronautas é fornecida pelo envio de cargas úteis à estação, mas, de vez em quando, eles têm a chance de comer uma verdura fresca. Este estudo prepara o caminho de missões futuras, pois, se quisermos alcançar o espaço profundo — ou até mesmo Marte —, precisaremos desenvolver estes alimentos por lá mesmo.

O astronauta Shane Kimbrough, da NASA, inserindo as 48 sementes no laboratório (Imagem: Reprodução/NASA)
O astronauta Shane Kimbrough, da NASA, inserindo as 48 sementes no laboratório (Imagem: Reprodução/NASA)

O experimento com as pimentas começou no dia 12 de julho deste ano, quando o astronauta Shane Kimbrough, da Expedição 65, plantou as sementes, que devem levar até quatro meses para atingirem a fase madura. No entanto, Kimbrough provavelmente não colherá estes frutos, pois retorna para a Terra em outubro, mas os resultados dessa pesquisa serão colhidos a longo prazo. "É um dos experimentos de planta mais complexos na estação até agora por causa da longa germinação e tempos de crescimento", explica Matt Romeyn, principal investigador do estudo.

Todo o cultivo dessas pimentas, e das plantas anteriores, acontecem no Advanced Plant Habitat, uma das três câmaras onde os astronautas plantam e colhem suas safras espaciais. Apesar de complexo, parte do trabalho de manutenção desse laboratório pode ser realizado remotamente pela equipe localizada na Terra. Dessa maneira, o tempo dos astronautas fica mais livre para outras tarefas. Mas por que pimenta?

Registro em 15 de janeiro de 2020 da pimenta Hatch Green Chile cultiva no Kennedy Space Center, da NASA, na Flórida (Imagem: Reprodução/NASA/Ben Smegelsky)
Registro em 15 de janeiro de 2020 da pimenta Hatch Green Chile cultiva no Kennedy Space Center, da NASA, na Flórida (Imagem: Reprodução/NASA/Ben Smegelsky)

Conforme explica Romeyn, esse alimento apresenta um grande potencial para a alimentação dos astronautas em missões espaciais de longo prazo no espaço. “Estamos limitados a safras que não precisam de armazenamento ou processamento extensivo”, acrescenta o pesquisador. Além disso, essas pimentas possuem uma rica fonte de vitamina C e outros nutrientes importantes à saúde. Estudos recentes apontam que o vermelho da pimenta — quando atinge sua fase madura — pode, inclusive, beneficiar a saúde mental da tripulação.

Se todas as sementes germinarem, as 48 pimenteiras serão provadas pela tripulação, enquanto outra parte será trazida para a Terra para análises mais aprofundadas. Ao final do cultivo, eles avaliarão o sabor e a textura do alimento, avaliado como o “calor”, o qual depende das condições em que a pimenta foi cultivada. "A combinação de microgravidade, qualidade de luz, temperatura e umidade da zona radicular afetarão o sabor, então será interessante descobrir como a fruta crescerá, amadurecerá e terá sabor", aponta LaShelle Spencer, líder da equipe do PH-04.

Spencer diz que a comida dos astronautas precisa ser tão boa quanto o aparato tecnológico espacial. "Para enviar pessoas a Marte com sucesso e trazê-las de volta à Terra, não precisaremos apenas dos alimentos mais nutritivos, mas também dos mais saborosos", acrescenta.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos