Mercado abrirá em 8 mins
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,21 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,10
    -0,85 (-1,15%)
     
  • OURO

    1.812,00
    -5,20 (-0,29%)
     
  • BTC-USD

    39.326,66
    -2.326,93 (-5,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    960,41
    +10,51 (+1,11%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,03 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.068,17
    +35,87 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    26.235,80
    +274,77 (+1,06%)
     
  • NIKKEI

    27.781,02
    +497,43 (+1,82%)
     
  • NASDAQ

    15.019,50
    +63,75 (+0,43%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1038
    -0,0842 (-1,36%)
     

Astrobiólogo pressiona Pentágono a divulgar relatório mais evidente sobre vida extraterrestre

·2 minuto de leitura
Astrobiólogo pressiona Pentágono a divulgar relatório mais evidente sobre vida extraterrestre
Astrobiólogo pressiona Pentágono a divulgar relatório mais evidente sobre vida extraterrestre

Depois da afirmação de que existe vida extraterrestre em algum local do espaço sideral, proferida pelo político, astronauta e o principal líder da Nasa, Bill Nelson, cientistas querem agora que o Pentágono divulgue os polêmicos relatórios inconclusivos que nunca foram devidamente apresentados à sociedade mundial sobre a possível presença de OVNI’s, tendo como principal interlocutor o astrobiólogo Abel Mendez, diretor do Laboratório de Habitabilidade Planetária da Universidade de Porto Rico.

A pressão também cobra das agências de inteligência um esforço concentrado em busca de uma maior transparência nas informações sobre alienígenas existentes em outros planetas ou galáxias.

Autoridades científicas focam ainda nos fenômenos aéreos inexplicáveis (UAP), alegando que somente a declaração de Bill não prova nada sem uma análise mais apurada, o que exige uma cooperação das agências de inteligência e militares, sem sigilo nas informações que há tantos anos geram dúvidas e até mesmo posicionamentos dúbios por conta de teorias da conspiração sem um devido olhar científico.

Comprovação de vida extraterrestre necessita de informações compartilhadas

Tendo como base a força do pronunciamento de Bill Nelson que disse “estamos sozinhos? Pessoalmente, eu não acredito nisso”, o astrobiólogo Abel Mendez é o principal interlocutor de um grupo de cientistas que necessitam de dados concretos para estudos que comprovem ou não essa informação.

sinais de presença de ovni's
Astrobiólogo cobra divulgação de informações verdadeiras sobre a possível presença de OVNI’s para que suspeitas sejam ou não comprovadas por um olhar científico. Imagem: Marcos Reppetti / Shutterstock

Apesar do aumento no interesse em estudar UAPs, os cientistas enfrentam inúmeras dificuldades para encontrarem a tecnologia correta para comprovar a presença dos objetos não identificados, principalmente em razão do sigilo existente tanto no Pentágono quanto na Nasa.

“O Departamento de Defesa tem que divulgar publicamente todos os dados se realmente quiser ajudar a entender as UAPs”, declarou Mendez. Caso isso não aconteça, o astrobiólogo afirma que a comprovação tão aguardada dificilmente acontecerá sobre a origem dos UAPs e alienígenas.

Declaração bombástica

A declaração de Bill Nelson caiu como uma verdadeira bomba na comunidade científica internacional e foi divulgada justamente dias após o Pentágono divulgar uma versão do tão esperado relatório sobre fenômenos aéreos não explicados, os chamados OVNIs.

Leia mais:

O relatório não traz provas sólidas de vida extraterrestre, mas a frase de Bill trouxe uma forte visão de que existem vidas além do planeta Terra, mesmo que elas não sejam explicadas cientificamente. Por enquanto, o tema ainda é motivo de curiosidades que desafiam à ciência.

Via: The Byte

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos