Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.816,90
    -18,90 (-1,03%)
     
  • BTC-USD

    41.434,96
    -373,62 (-0,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Astrônomos descobrem o maior cometa registrado até hoje no nosso sistema solar

·1 minuto de leitura
Astrônomos descobrem o maior cometa registrado até hoje no nosso sistema solar
Astrônomos descobrem o maior cometa registrado até hoje no nosso sistema solar

Um cometa gigante recém-descoberto nos confins do sistema solar pode ser até 1.000 vezes mais massivo do que um cometa comum. Isso faz com que o corpo celeste seja potencialmente o maior desse tipo já registrado na história recente.

O objeto foi oficialmente designado como um cometa no último dia 23 de junho, e foi batizado como Bernardinelli-Bernstein, em homenagem aos dois descobridores, o estudante Pedro Bernardinelli da Universidade da Pensilvânia e o astrônomo Gary Bernstein.

Os astrônomos estimam que esse gigante gelado tenha de 100 a 200 quilômetros, em uma estimativa que é bastante aproximada. Contudo, ele permanece muito distante da Terra, tendo o tamanho calculado com base na quantidade de luz solar refletida. Para fazer uma abordagem mais exata, os pesquisadores vão aguardar até 2031, quando ele vai passar mais perto da Terra.

Mas isso não representa perigo. A menos distância entre nosso planeta e o cometa foi estimado em 11 unidades astronômicas, que é a distância média entre a Terra e o Sol.

Bernstein declarou se sentir um privilegiado de ter descoberto aquele que talvez seja o maior cometa já registrado. Além disso, o astrônomo acredita ter capturado o corpo celeste cedo o suficiente, o que possibilita estudar a evolução à medida que o cometa se aproxima do nosso Sol.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos