Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.829,73
    -891,85 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.335,51
    -713,54 (-1,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,53
    +0,39 (+0,51%)
     
  • OURO

    1.888,30
    +3,50 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    23.320,03
    +515,99 (+2,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    538,62
    +12,67 (+2,41%)
     
  • S&P500

    4.164,00
    +52,92 (+1,29%)
     
  • DOW JONES

    34.156,69
    +265,67 (+0,78%)
     
  • FTSE

    7.864,71
    +28,00 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    21.298,70
    +76,54 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    27.500,11
    -185,36 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    12.758,00
    -18,75 (-0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5790
    +0,0019 (+0,03%)
     

Asteroide faz "visita surpresa" em nova foto do telescópio Hubble

Uma nova imagem do telescópio espacial Hubble traz UGC 7983, uma pequena galáxia anã irregular a cerca de 30 milhões de anos-luz da Terra. Publicada nesta terça-feira (17) pela Agência Espacial Europeia (ESA), a imagem mostra ainda uma série de galáxias fundo e até um asteroide, registrado “de surpresa” junto dos demais objetos.

A galáxia UGC 7983 pode ser identificada facilmente: basta procurar a nuvem brilhante e difusa no centro da foto, junto de várias estrelas e outras galáxias. Já no lado esquerdo da imagem, está um rastro colorido dividido em quatro partes — ali está o asteroide, fotografado enquanto estava “no lugar certo, na hora certa”.

Veja:

Galáxia UGC 7983, junto do asteroide fotografado no lado esquerdo (Imagem: Reprodução/ESA/Hubble & NASA, R. Tully)
Galáxia UGC 7983, junto do asteroide fotografado no lado esquerdo (Imagem: Reprodução/ESA/Hubble & NASA, R. Tully)

Segundo a ESA, o asteroide tem apenas alguns quilômetros de extensão e faz parte do Sistema Solar. A rocha espacial foi registrada em vários rastros luminosos devido às quatro exposições separadas que, juntas, criaram esta imagem. Assim, os intervalos no rastro indicam as mudanças dos filtros do instrumento Advanced Camera for Surveys.

Esta foto do asteroide é uma espécie de “efeito colateral” de um projeto de observação de todas as galáxias conhecidas até agora, que estão próximas da nossa. “Quando este projeto foi apresentado pela primeira vez, quase 75% de todas as vizinhas próximas da Via Láctea já haviam sido observadas pelo Hubble”, escreveram astrônomos da ESA.

Assim, um grupo de astrônomos sugeriu aproveitar os intervalos entre as observações mais longas com o Hubble para tentar capturar imagens que pudessem preencher a lacuna dos 25% restantes. Além de ajudar a aproveitar o tempo entre a programação das observações do Hubble, o projeto contribuiu também para o estudo de galáxias próximas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: