Mercado fechará em 29 mins
  • BOVESPA

    109.760,68
    +2.381,76 (+2,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.834,52
    +567,32 (+1,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,97
    +1,91 (+4,44%)
     
  • OURO

    1.804,50
    -33,30 (-1,81%)
     
  • BTC-USD

    19.106,39
    +654,43 (+3,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    378,96
    +9,21 (+2,49%)
     
  • S&P500

    3.632,12
    +54,53 (+1,52%)
     
  • DOW JONES

    30.041,03
    +449,76 (+1,52%)
     
  • FTSE

    6.432,17
    +98,33 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    12.051,00
    +145,75 (+1,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3877
    -0,0526 (-0,82%)
     

Assessores econômicos da Alemanha veem queda menor do PIB em 2020 e recuperação mais fraca em 2021

·1 minuto de leitura
Fábrica da VW em Wolfsburg, Alemanha
Fábrica da VW em Wolfsburg, Alemanha

BERLIM (Reuters) - A economia alemã encolherá menos do que o inicialmente temido este ano, graças a uma recuperação surpreendentemente forte durante o período de junho a setembro, mas uma segunda onda da pandemia de Covid-19 está obscurecendo as perspectivas de crescimento para o próximo ano, disse o conselho de assessores econômicos do governo nesta quarta-feira.

"Ainda não superamos a crise do coronavírus", disse o chefe do conselho, Lars Feld, acrescentando que a recuperação econômica permaneceu frágil devido ao rápido aumento de novas infecções por coronavírus.

"Desdobramentos adicionais dependem de como a pandemia pode ser contida e de como outras economias no exterior vão se sair", disse Feld em referência à dependência relativamente grande da Alemanha por exportações.

O conselho agora vê a economia recuando 5,1% este ano, o que se traduz em uma queda ajustada pelo calendário de 5,5%. Em junho, a projeção era de queda de 6,5% (ou perda de 6,9% ajustada pelo calendário).

Isso significa que a devastação econômica causada pela pandemia pode ser menor do que o choque sofrido durante a crise financeira mundial, em 2009, quando a economia recuou 5,6%.

Para 2021, o conselho reduziu sua previsão de crescimento do PIB para 3,7%, ante estimativa anterior de 4,9%. Os assessores esperam que a produção econômica estagnará amplamente durante os meses de inverno devido a uma segunda onda de infecções e a novas medidas de lockdown.

(Por Michael Nienaber)