Mercado abrirá em 9 h 59 min
  • BOVESPA

    96.582,16
    +1.213,40 (+1,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.801,37
    -592,34 (-1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,40
    +0,23 (+0,64%)
     
  • OURO

    1.873,10
    +5,10 (+0,27%)
     
  • BTC-USD

    13.563,77
    +133,10 (+0,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    265,89
    +23,21 (+9,56%)
     
  • S&P500

    3.310,11
    +39,08 (+1,19%)
     
  • DOW JONES

    26.659,11
    +139,16 (+0,52%)
     
  • FTSE

    5.581,75
    -1,05 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    24.494,21
    -92,39 (-0,38%)
     
  • NIKKEI

    23.160,45
    -171,49 (-0,74%)
     
  • NASDAQ

    11.191,75
    -151,00 (-1,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7511
    +0,0055 (+0,08%)
     

Assembleia de SC vai analisar segundo pedido de impeachment contra Carlos Moisés

Carolina Freitas
·1 minuto de leitura

Governador catarinense é acusado de irregularidades na compra de respiradores e na contratação de hospitais de campanha Comissão especial da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) aprovou hoje a abertura de um segundo pedido de impeachment contra o governador do Estado, Carlos Moisés (PSL). A decisão deve ser publicada no Diário Oficial catarinense amanhã e, após dois dias, o caso pode ser votado no Plenário da Casa. Carlos Moisés já responde a um pedido de impeachment, analisado por um Tribunal Especial de Julgamento, composto por desembargadores e deputados estaduais, por ter concedido aumento salarial a servidores públicos sem consultar a Assembleia. Carlos Moisés (PSL), governador de Santa Catarina, sofre um segundo pedido de impeachment Júlio Cavaleiro/SECOM Esse segundo pedido aprovado hoje em comissão tem como base supostas irregularidades na compra de 200 respiradores e na contratação de um hospital de campanha na cidade de Itajaí. As duas ações fizeram parte da resposta do governo do Estado para o combate à pandemia de covid-19. A comissão especial aprovou o relatório do deputado estadual Valdir Cobalchini (MDB). O processo traz acusações de que o governador, além de cometer as irregularidades, prestou informações falsas à CPI que investigava irregularidades na compra de respiradores. A vice-governadora de Santa Catarina, Daniela Reinehr (sem partido), foi considerada isenta de responsabilidade nos crimes, de acordo com o relatório de Cobalchini e com a votação na comissão. Segundo informações da Alesc, o relator sustentou que Daniela não cometeu crime de responsabilidade e agiu para informar órgãos de fiscalização sobre as irregularidades cometidas pelo governador. Apesar de isenta no processo dos respiradores, Daniela é sim alvo do primeiro pedido de impeachment, que hoje tramita no Tribunal Especial de Julgamento. A corte julgará dia 23 o relatório sobre esse primeiro processo.