Mercado fechado

Assassinatos, crueldade infantil: filmes de terror que viraram casos de polícia

Rafael Monteiro
·2 minuto de leitura
Assassinatos, crueldade infantil: filmes de terror que viraram casos de polícia (reprodução)
Assassinatos, crueldade infantil: filmes de terror que viraram casos de polícia (reprodução)

Muitos filmes de terror são baseados em fatos reais. Porém, em alguns casos, o inverso também é verdade: alguns longas também acabaram virando ou inspirando casos de polícia na vida real.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Abaixo, relembramos tais histórias, que tornam o universo horripilante do cinema ainda mais assustador do que ele já é somente no campo da ficção. Esperamos que você não tenha pesadelos à noite.

Leia também

A Noite dos Mortos-Vivos (1968)

O clássico de zumbis criado por George Romero, infelizmente, já foi usado em um caso de crueldade infantil. Em 2016, durante depoimento à Justiça, o britânico Robert Bayliss admitiu que forçou uma menina de 6 anos ao filme como punição nos anos 1990. Na época, ele trabalhava como babá no Reino Unido.

The Purge (2013)

Para manter as pessoas dentro de casa durante a quarentena provocada pelo novo coronavírus, a polícia do estado de Louisiana, nos Estados Unidos, adotou uma abordagem bizarra: passou a tocar as sirenes ouvidas nos filmes de terror e programas de TV da série “The Purgue” durante os toques de recolher. Após a má repercussão da medida, os chefes de segurança locais pediram desculpas pela ideia.

O Massacre da Serra Elétrica (1974)

O filme de Tobe Hooper causa medo até hoje pelas brutais cenas de violência envolvendo canibalismo e banhos de sangue. Em fevereiro de 1976, dois cinemas em Ottawa, Canadá, foram proibidos pela polícia local a exibir a obra, com medo que as pessoas passassem a suspeitar de investigações mal feitas por eles, como a vista no início do longa.

Guinea Pig: Flowers of Flesh and Blood (1985)

A produção japonesa virou caso de polícia por causa de... Charlie Sheen. Em 1991, o ator assistiu ao filme e ficou tão horrorizado com o longa que resolveu ligar para o FBI, crente que uma mulher realmente havia sido assassinada. As imagens são tão reais que os produtores da obra precisaram fazer um documentário, ‘The Making of Guinea Pig’, para provar que ninguém foi morto durante as filmagens.

House of Cards

Em 2008, o cineasta canadense Mark Twitchell escreveu e dirigiu o filme ‘House of Cards’, marcado por uma cena em que um homem é assassinado numa sala usada apenas para assassinatos. Semanas depois, o diretor repetiu o roteiro na vida real e matou um homem chamado Johnny Altinger na sala usada nas filmagens. Hoje, Twitchell, que também afirma ter se inspirado nas cenas da série "Dexter", cumpre prisão perpétua.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube