Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    60.068,55
    +741,69 (+1,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Aspen Pharmacare entregará vacinas J&J nos próximos três meses

Janice Kew
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Aspen Pharmacare Holdings fornecerá a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Johnson & Johnson nos próximos três meses, colocando a maior farmacêutica da África “bem na frente da produção desta vacina globalmente”, disse o CEO Stephen Saad.

Desde que concordou em novembro em produzir até 300 milhões de doses por ano em sua fábrica em Port Elizabeth, África do Sul, Aspen adotou a tecnologia necessária para a produção, disse Saad em entrevista nesta sexta-feira. A empresa tem capacidade suficiente para mais do que dobrar essa produção, se necessário, disse ele.

Em seguida, Aspen precisa produzir três lotes idênticos ao produto final. Uma vez que essa meta seja atingida, a farmacêutica pode solicitar o registro e, em seguida, vender seu suprimento da vacina J&J, que recebeu autorização na União Europeia esta semana, após uma permissão de uso emergencial nos EUA.

O peso da Aspen pode ajudar um continente que antes tinha uma capacidade limitada de fabricação de vacinas e aliviar algumas preocupações de que os países mais pobres pudessem ficar sem suprimentos devido à enorme demanda dos mais ricos.

A África do Sul está “em uma ótima posição como país em relação à compra de vacinas por causa do que a Aspen pode oferecer”, disse Saad.

A empresa, que na quinta-feira disse planejar a retomada do pagamento de dividendos após uma pausa de dois anos imposta pelos níveis de endividamento, agora está em posição de fazer aquisições.

Qualquer compra seria “aditiva em vez de transformadora”, disse Saad. A Aspen irá olhar para os países ou áreas de negócios em que já opera, incluindo a compra de produtos estéreis, usados principalmente em hospitais, ou em vacinas, disse ele.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.