Mercado fechado

Asma e coronavírus: as recomendações dos pneumologistas

Funcionário desinfeta ônibus na Macedônia

O surto do novo coronavírus gerou uma preocupação especial entre os asmáticos, uma população especialmente vulnerável a qualquer tipo de vírus.

A associação francesa Asma & Alergias, que conta com vários serviços de atendimento ao paciente, apontou os riscos que os asmáticos enfrentam em relação ao novo coronavírus.

Segundo a associação, as ligações para o número de atendimento ao paciente "se intensificaram" por alguns dias e "a preocupação de quem liga é perceptível".

- Os tratamentos à base de corticóides devem ser abandonados? -

As recomendações dos pneumologistas da associação negam que os medicamentos à base de cortisona devam ser evitados para reduzir o risco de uma infecção grave por coronavírus, informação que tem circulado amplamente nos últimos tempos.

Segundo especialistas, a população em geral deve evitar esse tipo de tratamento, mas "no caso de pacientes asmáticos, isso deve ser relativizado".

Sabe-se que a combinação de vírus e asma é perigosa há muito tempo, então os asmáticos são solicitados a tomar uma vacina contra a gripe todos os anos.

No entanto, "o controle adequado dos sintomas limita os riscos de um ataque inflamatório de asma em caso de infecção viral", explicam os especialistas.

Por esse motivo, "é muito importante não interromper o tratamento da asma".

O tratamento da asma é baseado, acima de tudo, em corticóides inalados que permitem controlar a inflamação dos brônquios, sintomas e diminuir a os efeitos da asma, dizem especialistas, que recomendam "continuar" o tratamento.

No entanto, pode haver exceções. Em caso de tosse, falta de ar e febre, é essencial consultar um médico antes de iniciar o tratamento com cortisona oral, dizem os pneumologistas.

- São os asmáticos mais propensos a pegar a Covid-19? -

Pessoas com asma não correm mais risco de contrair a epidemia da Covid-19 do que o resto da população, desde que a asma seja adequadamente controlada, dizem os especialistas.

No entanto, os asmáticos são mais propensos a desenvolver complicações respiratórias se pegarem o novo coronavírus, esclarecem.

É essencial respeitar as precauções e os conselhos gerais para evitar infecções (lavagem das mãos, etc.) e continuar com o tratamento anti-asma, se você quiser ter um bom controle dos sintomas, afirmam.