Mercado fechado

Às vésperas das festas de final de ano, busca por testes disparam; não há garantia de fim de ano sem Covid-19

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
A medical technician displays a fast result COVID-19 tester at a mobile testing site in Tunis, Tunisia, Tuesday Dec.22, 2020. The World Health Organisation has cautioned against major alarm over a new, highly infectious variant of the coronavirus that has emerged in Britain, saying this was a normal part of a pandemic's evolution. (AP Photo/Hassene Dridi)
A alta nos números é relevante por mostrar um padrão de comportamento de paulistanos que buscam resultados negativos antes das tradicionais reuniões de Natal e Ano-Novo (Foto: AP Photo/Hassene Dridi)

As buscas em farmácias por testes rápidos para a Covid-19 dispararam neste fim de ano. Nos primeiros 15 dias de dezembro, foram realizados 110.046 exames, número superior aos 108.801 da última semana de novembro.

A alta nos números é relevante por mostrar um padrão de comportamento de paulistanos que buscam resultados negativos antes das tradicionais reuniões de Natal e Ano-Novo. Porém, não há nenhuma medida capaz de impedir totalmente a transmissão da Covid-19.

De acordo com o levantamento feito pelo Uol junto à Abrafarma (Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias), as farmácias já realizaram mais de 1,5 milhão de estagens desde abril deste ano. Desse total, foram 1.548.508 testes em 2.456 farmácias, com 233.496 resultados confirmados, ou 15,08%, e 1.315.012 negativos, o que representa 84,92%.

Leia também

Desde o início de dezembro, as buscas pelo termo "teste de covid" voltaram a crescer no Google. A semana do dia 6-12 de dezembro é até o momento o período com maior volume de pesquisa sobre o tema — maior inclusive que o pico da doença em junho.

Segundo o pneumologista do Hospital Sírio-Libanês e professor do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, André Nathan, relatou ao Uol, a procura por testes têm criado a teoria de que se a resposta for negativa a aglomeração está liberada.

O médio, no entanto, reforça que os testes não foram criados para detectar Covid-19 em pacientes que não apresentaram sintomas. “Nenhuma sociedade médica nacional ou internacional indica testes para passar o Natal tranquilo”, afirmou.