Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,79 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,80 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,01
    +2,52 (+3,17%)
     
  • OURO

    1.672,70
    +0,70 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    18.992,02
    -312,27 (-1,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,09 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,93 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,89 (-1,84%)
     
  • NASDAQ

    11.007,75
    -27,75 (-0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3040
    -0,0039 (-0,07%)
     

Artista cria IA que encontra momentos anteriores ao de fotografias

Um dos momentos obtidos pela inteligência artificial (IA) de Depoorter (Reprodução: Dries Depoorter/Twitter)
Um dos momentos obtidos pela inteligência artificial (IA) de Depoorter (Reprodução: Dries Depoorter/Twitter)
  • Todas câmeras usadas por Depoorter são de acesso público e gratuito;

  • Momentos foram divulgados pelo artista em sua conta no Twitter;

  • Dries Depoorter postou em sua conta no Twitter vídeo de influenciadores tirando suas fotos sem saber que estavam sendo observados.

O artista belga Dries Depoorter, conhecido por projetos conceituais inusitados, compartilhou seu mais novo projeto: o "The Follower", "O Seguidor" ou "A Seguidora" em tradução livre. A obra utiliza inteligência artificial (IA) para encontrar os momentos anteriores à fotografias de mídias sociais.

Divulgado em um vídeo no YouTube, que foi removido do ar por um reivindicação de direitos autorais da EarthCam, e em sua conta no Twitter, o artista mostra como sua IA foi capaz de utilizar câmeras de acesso aberto para localizar os "bastidores" das fotos publicadas nas redes sociais.

Em entrevista à Vice, Depoorter afirmou que a ideia surgiu em sua cabeça quando ele assistiu a uma câmera aberta e alguém estava tirando uma foto por 30 minutos. Após assistir a isso, ele se perguntou se ele conseguiria encontrar aquela foto no Instagram. Essa epifania levou Depoorter a gravar horas e horas de vídeo de câmeras de visualização gratuita, como as oferecidas pela EarthCam.

Depois de obter as imagens de áreas densamente povoadas, Depoorter raspou todas as fotos do Instagram marcadas com as localizações das câmeras abertas e usou um software personalizado para analisar e comparar as imagens do Instagram com as imagens gravadas.

No final, Depoorter conseguiu capturar dezenas de vídeos e fotos de influenciadores desavisados, que capturaram seus próprios conteúdos. Embora essas filmagens tenham sido capturadas em um espaço público com uma câmera aberta, o projeto mostra como é fácil encontrar um indivíduo e mantê-lo sob observação.

Depoorter disse especificamente que tinha como alvo indivíduos com um grande número de seguidores, mas isso poderia ser usado essencialmente em qualquer pessoa que marcasse a localização de suas imagens, levando a preocupações com a privacidade.

Ainda que seja uma boa prática presumir que você está sendo gravado em público, pois geralmente é legal fazê-lo, é assustador pensar que qualquer pessoa que navegue em qualquer lugar possa usar sistemas de câmera abertos ao mundo para perseguir qualquer pessoa que veja como alvo.