Mercado abrirá em 1 h 38 min
  • BOVESPA

    121.801,21
    -1.775,35 (-1,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.195,43
    -438,48 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,19
    +0,04 (+0,06%)
     
  • OURO

    1.815,00
    +0,50 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    38.123,45
    +18,38 (+0,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    946,90
    +20,13 (+2,17%)
     
  • S&P500

    4.402,66
    -20,49 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    34.792,67
    -323,73 (-0,92%)
     
  • FTSE

    7.104,64
    -19,22 (-0,27%)
     
  • HANG SENG

    26.204,69
    -221,86 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.099,75
    +26,25 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1211
    +0,0028 (+0,05%)
     

Arte Neandertal | Ossos esculpidos mostram talento artístico dos antepassados

·2 minuto de leitura

A primeira vez em que um fóssil de um Neandertal foi descoberto foi ainda no século XIX e, desde então, nos apegamos ao senso comum de que se tratava de um hominídeo primitivo. Sabemos, no entanto, que eles eram capazes de fazer as suas próprias armas, mas uma nova descoberta mostra que o talento ia além da dedicação a essas ferramentas.

De acordo com um estudo realizado pela Universidade de Goettingen, na Alemanha, os Neandertais eram geneticamente próximos aos humanos modernos, então contavam com grandes habilidades cognitivas. Os cientistas descobriram, em escavações que vêm sendo feitas desde 2019 na caverna do Unicórnio, que fica na cadeia montanhosa de Harz, camadas muito bem preservadas de materiais culturais feitos pelos Neandertais.

<em>Imagem: Reprodução/Universidade de Goettingen/V. Minkus</em>
Imagem: Reprodução/Universidade de Goettingen/V. Minkus

Entre os objetos encontrados está um osso de pé de animal que, depois de ter um pedaço de terra removido da sola, mostrou seis entalhes no mesmo padrão angular. Logo os pesquisadores descobriram se tratar de marcas decorativas feitas após o abate do animal. Os detalhes foram analisados com microscopia 3D e comparados com os pés de gado dos dias atuais. Os cientistas chegaram à conclusão que, antes de fazer os entalhes, era preciso ferver o osso antes de usar ferramentas de pedra para executar as artes, que podiam render até uma hora e meia de trabalho. Na sequência, eles descobriram que o osso era de um animal chamado alce-gigante (Megaloceros giganteus), ou alce-irlandês.

Antje Schwalb, professora e uma das responsáveis pelo estudo, conta que o Neandertal que fez a arte escolheu o osso de um animal "impressionante e com chifres enormes". Segundo os resultados dos estudos em laboratório, feitos com uma tecnologia de datação por radiocarbono, o osso tem mais de 51 mil anos. É a primeira vez em que um objeto esculpido por Neandertais é datado diretamente dessa forma.

<em>Imagem: Reprodução/Universidade de Goettingen/A. Tröller-Reimer/D. Leder</em>
Imagem: Reprodução/Universidade de Goettingen/A. Tröller-Reimer/D. Leder

Thomas Terberg, líder do estudo, conta que essa é a primeira descoberta que mostra que os Neandertais eram capazes de produzir artes em ossos sem influência externa e também de se comunicar através de símbolos, muito antes da chegada dos humanos modernos na região. "Isso significa que os talentos criativos dos Neandertais podem ter se desenvolvido de forma independente", explica.

O estudo completo está disponível para consulta na revista científica Nature Ecology and Evolution.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos