Mercado fechará em 25 mins
  • BOVESPA

    127.911,82
    -1.347,67 (-1,04%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.148,61
    -430,49 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,12
    -1,03 (-1,43%)
     
  • OURO

    1.777,90
    -83,50 (-4,49%)
     
  • BTC-USD

    37.808,48
    -1.093,88 (-2,81%)
     
  • CMC Crypto 200

    938,95
    -30,93 (-3,19%)
     
  • S&P500

    4.228,07
    +4,37 (+0,10%)
     
  • DOW JONES

    33.874,24
    -159,43 (-0,47%)
     
  • FTSE

    7.153,43
    -31,52 (-0,44%)
     
  • HANG SENG

    28.558,59
    +121,75 (+0,43%)
     
  • NIKKEI

    29.018,33
    -272,68 (-0,93%)
     
  • NASDAQ

    14.194,50
    +213,25 (+1,53%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9814
    -0,0806 (-1,33%)
     

Arte imaginária: artista vende obra imaterial por R$ 90 mil em leilão

·2 minuto de leitura
Arte imaginária: artista vende obra imaterial por R$ 90 mil em leilão
Arte imaginária: artista vende obra imaterial por R$ 90 mil em leilão

Após o sucesso da arte digital em tokens não fungíveis (NFTs), uma nova tendência pode estar chegando ao mundo artístico, a arte imaginária. O primeiro adepto dessa nova escola é o artista italiano Salvatore Garau, que levou a leilão e vendeu pela bagatela de 15 mil euros (R$ 92,30 mil) uma escultura imaterial feita por ele. Porém, a obra é imaterial, ou seja, existe apenas na cabeça de seu autor.

O leilão foi realizado pela galeria Art-Rite, localizada na cidade italiana de Milão. Segundo Garau, o fato de leiloar uma obra que não existe no mundo real aconteceu por conta de uma natureza diferente de tudo que tem sido feito por artistas desde o início do século passado.

Leia mais:

“O conceito das minhas esculturas é completamente diferente das provocações de Marcel Duchamp no início do século XX ou da arte conceitual dos anos 1960”, disse o escultor ao Instituto Cultural Italiano de Nova York. “A ausência de matéria é, para mim, um ato de amor para com o desconhecido e o mistério com que quase toda a humanidade está comprometida”.

Não existir é existir

Segundo Garau, o fato de sua escultura não ter uma manifestação física é o que faz dela especial, já que a obra é como quem a vê quiser e pode estar onde essa pessoa quiser. “No momento em que decidi ‘expor’ uma escultura imaterial num determinado espaço, esse espaço ganhará uma quantidade e densidade de pensamentos num ponto preciso, criando uma escultura que, apenas pelo meu título, assume múltiplas formas”, disse o artista.

Comprador recebeu um certificado para comprovar que era o dono da obra. Crédito: Art-Rire/Divulgação
Comprador recebeu um certificado para comprovar que era o dono da obra. Crédito: Art-Rire/Divulgação

Salvatore Garau completou dizendo que sua escultura é uma marca dos tempos atuais, em que a fisicalidade é, segundo ele, cada vez mais dispensável, podendo ser substituída pela imagem virtual, como a persona que assumimos nas redes sociais, textos ou a voz, todas essas manifestações que também são imateriais. “A carne e o sangue do nosso ser tem que contar com a ausência, que é por estes dias, a única verdadeira presença”.

Para ter a comprovação de que é o dono da obra imaterial, o comprador, que não teve seu nome divulgado, recebeu um certificado emitido pela galeria, que foi assinado e autenticado pelo autor da obra de arte imaginária.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos