Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.541,95
    -1.079,62 (-1,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.524,45
    -537,16 (-1,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    106,06
    +0,30 (+0,28%)
     
  • OURO

    1.807,70
    +0,40 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    18.774,46
    -1.518,42 (-7,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,82
    -26,65 (-6,18%)
     
  • S&P500

    3.785,38
    -33,45 (-0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.775,43
    -253,88 (-0,82%)
     
  • FTSE

    7.169,28
    -143,04 (-1,96%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    26.393,04
    -411,56 (-1,54%)
     
  • NASDAQ

    11.497,25
    -32,25 (-0,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5056
    +0,0950 (+1,76%)
     

"Armadura" do asteroide Bennu o faz parecer mais jovem, diz estudo

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Um estudo liderado pela Lockheed Martin Space observou que o asteroide Bennu possui uma espécie de “armadura” que o protege de impactos de pequenos meteoros. Isto explicaria o pequeno número de crateras na superfície do asteroide, que o faz parecer mais jovem do que realmente é.

Lançada em 2016, a sonda OSIRIS-REx, da NASA, coletou amostras da superfície de Bennu em 2020 e atualmente segue sua viagem de volta à Terra. A missão forneceu uma série de dados que ajudam os pesquisadores a entender como asteroides como Bennu reagem a impactos energéticos.

Momento em que a sonda OSIRIS-REx realizou a coleta na superfície do asteroide Bennu (Imagem: Reprodução/NASA/Goddard/University of Arizona)
Momento em que a sonda OSIRIS-REx realizou a coleta na superfície do asteroide Bennu (Imagem: Reprodução/NASA/Goddard/University of Arizona)

Bennu é classificado como um asteroide de “pilha de escombros”, ou seja, ele se formou a partir dos detritos de asteroides maiores que foram quebrados após um antigo impacto. Ao longo do tempo, estas sobras se uniram sob o efeito da gravidade e deram origem a Bennu.

A partir da quantidade das crateras encontradas na superfície de um corpo espacial, os cientistas podem estimar sua idade. Portanto, um corpo com muitas crateras de impacto tende a ser mais antigo do que um com poucas. Ao mesmo tempo, o tamanho das crateras pode indicar a dimensão do objeto que as criou.

Escudo protetor de Bennu

Meteoros pequenos são mais numerosos que os maiores, então grandes corpos, como asteroides, normalmente apresentam um maior número de crateras pequenas. Em Bennu, o número de crateras grandes diminui à medida que o tamanho delas aumenta.

A superfície granulada de Bennu impede a formação de pequenas crateras de impacto (Imagem: Reproução/NASA/Goddard/University of Arizona)
A superfície granulada de Bennu impede a formação de pequenas crateras de impacto (Imagem: Reproução/NASA/Goddard/University of Arizona)

Entretanto, quando se trata de crateras menores (entre 2 a 3 metros de diâmetro), o número reduz conforme o tamanho delas diminui. Os pesquisadores acreditam que o escudo de detritos na superfície de Bennu impede que pequenos meteoros formem crateras.

Em vez disto, estes pequenos impactadores são mais propensos a quebrar ainda os detritos da superfície. Além disto, os meteoros que atravessam a camada de escombros criam crateras menores do que seriam se a superfície de Bennu fosse coberta por partículas menores e uniformes, como areia.

Esta dinâmica muda a superfície de Bennu de maneira diferente de outros corpos celestes cobertos por grãos finos ou sólidos; e faz com que a superfície do asteroide se parece muito mais jovem do que seu interior.

O trabalho foi apresentado na revista Nature Geoscience.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos