Mercado abrirá em 5 h 7 min
  • BOVESPA

    130.091,08
    -116,88 (-0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.908,18
    -121,36 (-0,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,52
    +0,40 (+0,55%)
     
  • OURO

    1.860,80
    +4,40 (+0,24%)
     
  • BTC-USD

    40.230,91
    -102,96 (-0,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.000,65
    -9,96 (-0,99%)
     
  • S&P500

    4.246,59
    -8,56 (-0,20%)
     
  • DOW JONES

    34.299,33
    -94,42 (-0,27%)
     
  • FTSE

    7.192,14
    +19,66 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    28.418,31
    -220,22 (-0,77%)
     
  • NIKKEI

    29.291,01
    -150,29 (-0,51%)
     
  • NASDAQ

    14.045,25
    +15,00 (+0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1160
    -0,0019 (-0,03%)
     

Argentina ultrapassa 70 mil mortes por covid-19

·1 minuto de leitura
Mulher reza ao visitar um familiar infectado pela covid-19 na Unidade de Terapia Intensiva do hospital El Cruce - Dr. Néstor Kirchner, em Florencio Varela, Argentina, em 13 de abril de 2021

A Argentina ultrapassou neste sábado (15) 70 mil mortes por covid-19 desde o início da pandemia, enquanto a média diária de novos casos não cai e permanece acima de 20 mil, informaram as autoridades.

Segundo o Ministério da Saúde, nas últimas 24 horas houve 400 óbitos por coronavírus, o que eleva o saldo total para 70.253. Também foram notificadas 21.469 novas infecções, assim, 3.290.935 dos 45 milhões de habitantes do país já foram infectados.

Um dos indicadores que mais preocupa as autoridades é a ocupação em unidades de terapia intensiva, que está em 70,1% e vem aumentando nos últimos nove dias.

De acordo com o relatório oficial, 5.517 pessoas permanecem hospitalizadas em terapia intensiva em todo o país.

Na semana passada, a pasta da Saúde confirmou pela primeira vez a detecção das variantes do vírus descobertas na Índia e na África do Sul, em três viajantes que entraram no país vindos da França e da Espanha.

As fronteiras permanecem fechadas e a entrada é permitida apenas para argentinos e estrangeiros residentes. Já circulam na Argentina as cepas de Manaus, do Rio de Janeiro e do Reino Unido.

Desde meados de abril, o governo reforçou as medidas para reduzir a circulação de pessoas com o objetivo de desacelerar a curva de contágio.

A Argentina já recebeu 11,4 milhões de vacinas de diversos laboratórios, de forma que 9,9 milhões de pessoas já foram vacinadas, sendo 1,8 delas com as duas doses necessárias.

sa/dga/ic