Mercado abrirá em 7 h 2 min
  • BOVESPA

    109.101,99
    +1.088,52 (+1,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.508,35
    -314,88 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,29
    -0,61 (-0,70%)
     
  • OURO

    1.842,10
    -0,50 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    39.003,69
    -2.933,23 (-6,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    921,30
    -73,97 (-7,43%)
     
  • S&P500

    4.482,73
    -50,03 (-1,10%)
     
  • DOW JONES

    34.715,39
    -313,26 (-0,89%)
     
  • FTSE

    7.585,01
    -4,65 (-0,06%)
     
  • HANG SENG

    24.766,26
    -186,09 (-0,75%)
     
  • NIKKEI

    27.359,06
    -413,87 (-1,49%)
     
  • NASDAQ

    14.647,50
    -193,50 (-1,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1362
    +0,0061 (+0,10%)
     

Argentina ultrapassa 100.000 infecções por covid-19 em um dia

·2 min de leitura
Laboratório da Sinergium Biotech que produzirá vacinas de RNAm contra a covid-19 para a América Latina, em Garin, província de Buenos Aires na Argentina (AFP/JUAN MABROMATA)

A Argentina, que desde o final de 2021 enfrenta um aumento vertiginoso das infecções por covid-19, ultrapassou a barreira dos 100 mil novos casos nesta quinta-feira (6) e se posiciona como um dos países da América Latina onde a doença avança mais rapidamente.

Com os centros de testes sobrecarregados com a disseminação da variante ômicron, nas últimas 24 horas foram registrados 109.608 novos casos e 40 mortes.

Devido ao aumento das infecções, a ministra da Saúde, Carla Vizzotti, pediu às pessoas que estão em contato próximo com um paciente, mas não apresentam sintomas, que se isolassem e evitassem ir a centros de exames.

“Acho que algumas medidas devem ser tomadas. Me parece que tudo é muito liberado e as pessoas não se cuidam muito. Agora estão começando a ver mais máscaras, mas há duas semanas era como se não houvesse pandemia”, Sol Castaño, um estudante de música de 21 anos que esperava para fazer o teste, disse à AFP depois de ter pego a doença.

Observando que mais de 72% da população tem o esquema completo de vacina de duas doses, Vizzotti disse que “uma nova variante surgiu com uma situação diferente, com transmissibilidade extraordinária, mas com uma gravidade muito menor”.

A variante ômicron foi detectada na Argentina pela primeira vez em 5 de dezembro. A ocupação das salas de terapia intensiva atualmente é de 37,5%.

Na última semana, os novos casos aumentaram 155% em relação à semana anterior, de acordo com uma contagem da AFP baseada em números oficiais.

“A ômicron está nos trazendo muitas surpresas. Não sabemos qual será o teto. Não há como impedir a transmissão”, disse Sonia Tarragona, chefe de gabinete do Ministério da Saúde.

Com uma população de 45 milhões de habitantes, a Argentina tem até agora mais de 6 milhões de infecções e 117.386 mortes por covid-19.

nn/lda/ap/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos