Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.552,44
    +12,61 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.669,25
    +467,44 (+1,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,83
    -0,20 (-0,50%)
     
  • OURO

    1.923,60
    -5,90 (-0,31%)
     
  • BTC-USD

    12.892,51
    +1.835,50 (+16,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    258,08
    +13,19 (+5,39%)
     
  • S&P500

    3.435,56
    -7,56 (-0,22%)
     
  • DOW JONES

    28.210,82
    -97,97 (-0,35%)
     
  • FTSE

    5.776,50
    -112,72 (-1,91%)
     
  • HANG SENG

    24.754,42
    +184,88 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    23.481,61
    -157,85 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    11.632,50
    -58,75 (-0,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6510
    +0,0010 (+0,02%)
     

Argentina tem superávit em conta corrente de US$ 2,82 bi no 2º trimestre

·1 minuto de leitura

Este foi o terceiro superávit consecutivo registrado pela Argentina, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec) A Argentina fechou o segundo trimestre com um superávit em conta corrente de US$ 2,824 bilhões, ante US$ 252 milhões nos primeiros três meses do ano, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec) nesta terça-feira (29). No mesmo período do ano passado, o país havia registrado um déficit de US$ 1,941 bilhão em conta corrente — o resultado das transações de bens, serviços e rendas com o exterior. Este foi o terceiro superávit consecutivo registrado pela Argentina, segundo dados do Indec. No último trimestre de 2019, o saldo positivo foi de US$ 2,518 bilhões. O país terminou o ano passado com um déficit em conta corrente de US$ 3,997 bilhões. De abril a junho deste ano, o superávit na conta de capital — que contabiliza as transações financeiras entre a Argentina e o resto do mundo — diminuiu para US$ 7 milhões, ante US$ 25 milhões no primeiro trimestre. Há um ano, o superávit havia sido de US$ 13 milhões. Além disso, as reservas internacionais do Banco Central da República Argentina (BCRA) diminuíram US$ 793 milhões no período, para US$ 43,2 bilhões em 30 de junho. A dívida externa bruta chegou a US$ 270,8 bilhões no fim do segundo trimestre, uma queda de US$ 3,84 bilhões em relação aos três primeiros meses de 2020.