Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    60.672,30
    +2.133,79 (+3,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Argentina recebe 500 mil novas doses da Sputnik V

·1 minuto de leitura
(Fevereiro) Dose da vacina Sputnik V é preparada para a aplicação, em Ezeiza, arredores de Buenos Aires

A Argentina recebeu nesta segunda-feira 500 mil novas doses da vacina Sputnik V, contra a Covid-19, que permitirão ao país avançar no processo de imunização, no qual mais de 3,2 milhões de doses já foram aplicadas.

"Recebemos meio milhão de vacinas Sputnik V, o que faz com que tenhamos 3,3 milhões de doses desse imunizante e cheguemos a 4,8 milhões no total, que já estão sendo aplicadas", declarou a ministra da Saúde, Carla Vizzotti, após receber o carregamento no aeroporto internacional de Ezeiza.

"Nosso propósito era que as pessoas de maior risco pudessem estar vacinadas até o próximo dia 31. Acredito que essa data será prorrogada por um mês, mas, se conseguirmos concretizar os últimos acordos, poderemos cumprir nosso objetivo até o fim de abril", declarou o presidente do país, Alberto Fernández.

A Argentina recebeu vacinas Sputnik V, Sinopharm e Covichield. O governo alertou que irá endurecer o controle nas fronteiras e pediu aos argentinos que evitem viagens ao exterior, diante da onda de contágios nos países vizinhos e do surgimento de novas variantes de coronavírus.

O país registrou hoje 6.401 novos casos, superando 2,25 milhões de infectados desde o começo da pandemia, entre 44 milhões de habitantes.

ls/lda/lb