Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.785,50
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.412,66
    -3.464,56 (-5,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Argentina quer ter o primeiro mercado de futuro de bitcoins regulado da America Latina

·2 min de leitura
  • Mercados regulados de criptoativos são raros, em 2019 a maior bolsa desse tipo nos EUA teve de parar após uma queda nos preços acabar com a demanda pela criptomoeda

  • A proposta ainda está sendo avaliada pela agência reguladora, depois passará pelo Ministério da Economia e Banco Central

  • Cerca de 2/3 dos argentinos já investem em cripto como forma de proteger suas economias

A corretora Matba Rex revelou na semana passada que apresentou uma proposta à agência reguladora de valores mobiliários da Argentina para poder lançar contratos futuros de bitcoin em pesos argentinos. As negociações, que começaram há alguns meses, aparentam estar em andamento, mas a reguladora ainda não quis se pronunciar sobre o assunto.

Futuros de bitcoin já estão disponíveis há anos em bolsas pouco regulamentadas, mas quando se trata de mercados regulados, as opções são poucas. A CBOE Global Markets Inc., a maior bolsa de opções dos EUA, ofereceu futuros de Bitcoin de 2017 até 2019, quando uma queda nos preços da criptomoeda acabou com a demanda.

“Queremos atrair os clientes dos mercados regulados que não podem operar em bolsas não reguladas”, disse Ismael Caram, subgerente-geral de mercados financeiros da Matba Rofex, em entrevista à Bloomberg. “Percebemos uma demanda incipiente, mas contínua dos clientes, que querem aumentar a exposição a ativos cripto.”

Leia também:

A agência regulatória está avaliando a proposta, mas não faz parte das prioridades, disse uma porta-voz da agência. A proposta também terá de ser avaliada pelo Ministério da Economia e o Banco Central, acrescentou.

Atualmente a Argentina faz parte dos nove países com maior adesão às criptomoedas, de acordo com o site especializado em cripto e blockchain Chainalysis. Devido a crises econômicas recorrentes e uma inflação anual de 50%, cerca de dois terços dos argentinos investem em cripto para proteger suas economias, mostrou um estudo da Wunderman Thompson, de Buenos Aires.

O plano da Matba Rofex é para que os contratos futuros sejam operados com liquidação em dinheiro por meio de plataformas eletrônicas, como outros derivativos financeiros. Os futuros também exigirão garantias mais altas e posições abertas mais baixas do que o comum, visto que são considerados mais arriscados do que os outros derivativos, disse Caram. A proposta apresentada é que os investidores depositem uma garantia de mais ou menos 30% a 40% do valor do contrato.

O ativo subjacente para os novos futuros será o Índice de Preços Bitcoin, lançado em abril, que publica o preço do ativo em tempo real em pesos argentinos, com base em 12 diferentes bolsas locais de criptografia. Esse índice fechou sexta-feira em 12,3 milhões de pesos, cerca de US$ 60.000 (ou R$ 700 mil) na principal taxa paralela do país, o swap blue-chip.

A corretora também disse estar pensando em trabalhar com mercados futuros de outras criptomoedas, como Ethereum, ou novas ferramentas, como fundos de índice cripto, disse Caram.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos