Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,32 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,82 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -2,46 (-2,61%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +11,70 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    24.512,05
    +400,38 (+1,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,38 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +268,75 (+2,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2024
    -0,1213 (-2,28%)
     

Argentina anuncia medidas econômicas para acalmar mercados

Nova ministra da Economia da Argentina, Silvina Batakis

Por Eliana Raszewski

BUENOS AIRES (Reuters) - A nova ministra da Economia da Argentina, Silvina Batakis, anunciou nesta segunda-feira uma série de medidas destinadas a reduzir o alto déficit fiscal do país e acalmar os mercados financeiros, em meio à crise financeira e política que o país atravessa.

Batakis, que assumiu a pasta há uma semana em meio a uma grave disputa na coalizão governista de centro-esquerda, disse que vai manter as metas acordadas com o Fundo Monetário Internacional (FMI), entre outras decisões que buscam afastar as dúvidas sobre o futuro da economia.

"Não vamos gastar mais do que temos", afirmou ela em entrevista à imprensa. "Precisamos dar certa ordem e equilíbrio às finanças públicas do Estado nacional".

Batakis destacou que a Argentina buscará uma trajetória de taxa de juros positiva, congelará a entrada de novos funcionários no setor público, além de manter o plano de cortes de subsídios ao consumo de serviços estipulado pela gestão anterior e evitar gastos acima do orçamento.

O país, importante exportador de grãos, enfrenta uma inflação que pode chegar a 76% este ano segundo estimativas, pressão sobre o peso e reservas cambiais baixas.

A ministra avaliou que o peso argentino, atualmente sob pressão devido à escassez de divisas que o país enfrenta, encontra-se em um valor adequado.

Alguns especialistas levantaram dúvidas sobre o respaldo que plano de Batakis terá por parte da vice-presidente Cristina de Kirchner, que provocou uma crise no governo de Alberto Fernández ao pressioná-lo pela saída do ex-ministro da Economia Martín Guzmán.

(Reportagem de Jorge Iorio e Maximilian Heath)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos