Mercado abrirá em 6 h 51 min

Argentina estende por mais três semanas a quarentena mais longa do mundo

Colaboradores Yahoo Notícias
·1 minuto de leitura
Médico veste equipamento para tratar paciente com coronavírus na Argentina (Foto: Ronaldo Schemidt/AFP via Getty Images)
Médico veste equipamento para tratar paciente com coronavírus na Argentina (Foto: Ronaldo Schemidt/AFP via Getty Images)

O governo da Argentina estendeu por mais três semanas a quarentena no país, que já dura 182 dias e é considerada a mais longa do mundo, para o controle da pandemia de coronavírus.

Desta vez, o presidente Alberto Fernández não anunciou o prolongamento da quarentena. Esta é a 12ª extensão desde o início das medidas de restrição. “A partir do diálogo constante com os especialistas e com os governadores de todo o país, decidimos manter as medidas de cuidado até domingo, 11 de outubro", diz o anúncio oficial emitido por vídeo através das redes sociais.

Em menos de um mês, o número de casos de Covid-19 no país saltou de 392 mil para mais de 600 mil. As mortes subiram de 8.271 para 12.491.

A quarentena argentina tem perdido o amplo apoio popular inicial e é agora rejeitada por 53,4% dos argentinos, de acordo com sondagem da consultora Giacobbe.

A popularidade do presidente, que em março registrava taxa de aprovação de 67,8%, caiu para 37,1%. A imagem negativa superou a positiva, passando a 48,5%.

“O presidente Alberto Fernández perdeu tudo aquilo que conquistou durante o começo da quarentena. Voltou ao baixo patamar que tinha ao assumir o cargo em dezembro”, explicou à agência RFI o analista político Jorge Giacobbe.