Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    57.631,56
    -777,92 (-1,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Argentina endurece restrições para conter Covid

·1 minuto de leitura
O presidente argentino anuncia em Buenos Aires o endurecimento das medidas de restrição

O presidente argentino, Alberto Fernández, anunciou nesta quarta-feira uma extensão da proibição de circulação noturna, a redução do horário comercial e o fechamento de escolas na região metropolitana de Buenos Aires, endurecendo as medidas para conter a Covid-19.

A partir de sexta-feira, o toque de recolher será de 20h às 6h e o horário comercial, de 9h às 19h. Os estudantes da capital voltarão ao ensino remoto, por um período de duas semanas, informou Fernández. O país registra quase cinco vezes mais casos diários do que há um mês.

O anúncio foi rejeitado com um panelaço em alguns bairros de Buenos Aires, governada pela oposição e que foi submetida no ano passado a uma rígida e prolongada quarentena. As novas restrições se aplicam à capital e à sua periferia, que concentram o aumento dos contágios.

O presidente insistiu na necessidade de "ganhar tempo" para avançar no processo de vacinação e para não saturar o sistema de saúde, que se encontra à beira do colapso. "Estamos fazendo um esforço enorme para que o processo de vacinação nao seja interrompido, em um mundo que não oferece as vacinas necessárias", assinalou.

A Argentina registrou esta semana recordes diários de contágio. Nesta quarta-feira, foram 25.157 casos e 368 mortos pela Covid, para um acumulado de 2,6 milhões de casos e 58.542 mortos desde o começo da pandemia.

ls/nn/rsr/lb