Mercado fechará em 3 h 25 min
  • BOVESPA

    125.120,77
    -1.025,88 (-0,81%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.207,25
    -33,26 (-0,07%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,85
    -0,06 (-0,08%)
     
  • OURO

    1.804,50
    -0,90 (-0,05%)
     
  • BTC-USD

    32.141,88
    -185,22 (-0,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    776,70
    -17,03 (-2,15%)
     
  • S&P500

    4.403,14
    +35,66 (+0,82%)
     
  • DOW JONES

    35.020,37
    +197,02 (+0,57%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.075,00
    +146,50 (+0,98%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0908
    -0,0294 (-0,48%)
     

Argentina e México convocam embaixadores na Nicarágua para consultas após prisão de opositores

·1 minuto de leitura
Policiais em ação de prisão de opositor na Nicarágua

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Os governos de Argentina e México convocaram seus embaixadores na Nicarágua para consultá-los sobre a situação política no país após as recentes detenções de vários opositores ao presidente Daniel Ortega, informou na segunda-feira o Ministério de Relações Exteriores do México em nota conjunta.

Nas últimas semanas, a polícia da Nicarágua prendeu 14 personalidades críticas ao atual presidente do país, entre eles vários pré-candidatos presidenciais e inclusive alguns ex-companheiros de Ortega na guerrilha sandinista. O último deles foi o jornalista Miguel Mora, na noite de domingo.

Argentina e México anunciaram que os embaixadores Mateo Capitanich e Gustavo Cabrera, respectivamente, foram convocados a voltarem a seus países para "serem consultados sobre as preocupantes ações políticas-legais realizadas pelo governo nicaraguense nos últimos dias".

Segundo a nota, as medidas "colocam em risco a integridade e a liberdade de diversas figuras da oposição (incluindo pré-candidatos presidenciais), ativistas e empresários nicaraguenses".

Os governos argentino e mexicano, juntamente com Belize, Dominica e Honduras, se abstiveram de votar em uma recente resolução da Organização dos Estados Americanos (OEA) aprovada por 26 países e que condenou as ações de Ortega. Nicarágua e San Vicente e Granadinas votaram contra.

Os dois países explicaram no comunicado que irão se manter atentos à evolução dos acontecimentos na Nicarágua. Além disso, mostraram sua disposição para colaborar construtivamente na promoção do diálogo para que os próprios nicaraguenses superem o conflito de maneira pacífica.

(Reportagem de Noé Torres)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos