Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    62.290,93
    +593,82 (+0,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0339 (-0,50%)
     

Argentina crescerá pelo menos 7% em 2021, diz ministro da Economia

·1 minuto de leitura
Ministro da Economia da Argentina, Martín Guzmán

BUENOS AIRES (Reuters) - A economia da Argentina vai crescer pelo menos 7% este ano, disse o ministro da Economia do país, Martín Guzmán, nesta terça-feira, após três anos de uma recessão econômica que foi agravada em 2020 pela pandemia de Covid-19.

"Esperamos um crescimento do Produto Interno Bruto de 7% para 2021, estabelecemos isso como base, e, junto com isso, começamos a ver uma recuperação do emprego e um fortalecimento das contas públicas", disse Guzmán em videoconferência com fundos de investimento estrangeiros.

A terceira maior economia da América Latina registrou contração de 10% em 2020 devido às incertezas em torno das políticas econômicas do governo do presidente Alberto Fernández, que assumiu o cargo no final de 2019, e ao fechamento da economia para evitar o agravamento da pandemia.

A nova estimativa oficial do PIB é superior aos 5,5% previstos na lei orçamentária da Argentina.

(Por Eliana Raszewski)