Mercado fechará em 2 h 56 min
  • BOVESPA

    118.182,30
    -1.464,10 (-1,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.061,07
    -64,64 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,15
    -0,16 (-0,30%)
     
  • OURO

    1.863,90
    -2,60 (-0,14%)
     
  • BTC-USD

    31.339,10
    -2.163,00 (-6,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    621,61
    -58,30 (-8,57%)
     
  • S&P500

    3.861,00
    +9,15 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    31.244,19
    +55,81 (+0,18%)
     
  • FTSE

    6.724,12
    -16,27 (-0,24%)
     
  • HANG SENG

    29.927,76
    -34,71 (-0,12%)
     
  • NIKKEI

    28.756,86
    +233,60 (+0,82%)
     
  • NASDAQ

    13.376,00
    +81,75 (+0,61%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5268
    +0,1188 (+1,85%)
     

Argentina começa vacinação contra covid-19 nesta terça-feira

Anita Efraim
·2 minuto de leitura
BUENOS AIRES, ARGENTINA - DECEMBER 24: TV image shows that 300 thousand doses of the Sputnik V vaccine arrive from Russia to Buenos Aires, Argentina, on December 24, 2020. (Photo by Mariano Gabriel Sanchez/Anadolu Agency via Getty Images)
Doses da Sputnik V chegaram ao país no dia 24 de dezembro (Foto: Mariano Gabriel Sanchez/Anadolu Agency via Getty Images)

A Argentina deu início à vacinação contra o coronavírus nesta terça-feira, 29. O país recebeu 300 mil doses da vacina russa Sputnik V e, na primeira fase, o imunizante será destinado exclusivamente aos profissionais da saúde.

O processo de vacinação começou às 9h30 em todas as províncias do país. Segundo o jornal argentino Clarin, além das doses, foi feita também a logística para transporte e armazenamento da vacina para todas as regiões da Argentina.

Axel Kicillof, governador de Buenos Aires, o vice-ministro da Saúde da capital, Nicolás Kreplak, e uma enfermeira foram as três primeiras pessoas a serem imunizadas em solo argentino. Todo o processo de vacinação demora entre 8 e 12 minutos, desde que a chegada do paciente, registro e entrega da carteira de vacinação.

Na cidade de Buenos Aires, a vacina será aplicada em um sistema de turnos em 37 hospitais, sendo 17 públicos e 20 da rede privada. Os primeiros vacinados serão aqueles profissionais da saúde que trabalham em unidades de terapia intensiva, dos laboratórios que manipulam mostrar da covid-19 e também os que trabalham em ambulâncias.

Leia também

Os responsáveis pela aplicação da vacina foram capacidades de forma online pelo Ministério da Saúde da Argentina. As 300 mil doses que chegaram ao país foram distribuídas de forma proporcional entre as províncias.

DÚVIDAS SOBRE A EFICÁCIA

O ministro da Saúde da Argentina, Ginés González García, admitiu que o presidente do país, Alberto Fernandes, está nervoso pela falta de documentos sobre os estudos da vacina para maiores de 60 anos.

“O presidente está nervoso porque não chegaram os papeis do estudo, que é o mesmo, mas o número de casos com mais de 60 anos e mil e tanto e querem ampliar um pouco mais. Mas saiu com a mesma eficácia, com a mesma quantidade de anticorpos. Acredito que é questão de dias”, disse o ministro a um grupo de médicos.

Ginés ainda afirmou que Alberto Fernandes queria se vacinas, mas decidir que vai esperar até que seja a vez dele. “Eu também, também foi me vacinar quando for minha vez”, disse o ministro.